Quatro vezes campeão do Rally Dakar entre motos, o espanhol Marc Coma está muito perto de vencer novamente. Seu principal adversário pelo título geral, o português Paulo Gonçalves, foi punido em 15 minutos por trocar de motor e agora a distância entre os dois primeiros colocados é de 20min12s. Faltam apenas 372 quilômetros, divididos em duas especiais, para o principal rali do mundo chegar ao fim.

Nesta quinta-feira, na 11.ª etapa, Coma, da KTM, foi apenas o sexto colocado, com uma distância pequena para as motos da Honda, as mais rápidas da especial de 357 km entre Salta (Chile) e Termas Rio Hondo (Argentina). Gonçalves e o espanhol Joan Barreda Bort, porém, fizeram jogo de equipe e trocaram de motor na noite de quarta-feira. O português foi punido em 15 minutos, enquanto seu companheiro levou 45 minutos de punição.

Barreda Bort chegou a liderar o Dakar por uma semana, mas despencou na classificação depois de ser o antepenúltimo da especial de segunda-feira. Agora ele é o 18.º colocado, com mais de 5 horas de distância para Coma.

Além de Coma e Gonçalves, outros dois pilotos ainda sonham com o título. O australiano Toby Price (a 31min43s) e o chileno Pablo Quintanilla (a 33min15s), porém, também são da KTM e devem proteger Coma nas etapas restantes.

Entre os carros, Nassser Al-Attiyah (Mini) se aproximou ainda mais do seu segundo título do Dakar. O catariano, que venceu também em 2011, ampliou em menos de um minuto a vantagem para o sul-africano Giniel de Villiers (Toyota), mas agora com uma etapa a menos até o fim. A distância entre os dois é de 29min01s.

O saudita Yazeed Alrajhi, que vinha em terceiro pela Toyota logo no seu primeiro Dakar, teve problemas no seu carro e foi obrigado a abandonar. Assim, o terceiro colocado agora é Krzysztof Holowczyc, da Polônia, a quase uma hora e meia do líder.