A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) comunicou que a velocista Vanda Gomes foi suspensa por dois anos após dar positivo em exame antidoping realizado fora do período de competições. A decisão foi tomada pela Comissão Disciplinar Nacional (CDN) do Superior Tribunal de Justiça Desportiva de forma unânime.

Ao apresentar a decisão, a presidente da CDN, Solange Guerra Bueno, disse que a punição começa a contar a partir de 5 de dezembro, quando Vanda Gomes foi suspensa provisoriamente pela CBAt. Os advogados de defesa da velocista podem recorrer da decisão.

Em 8 de dezembro, a CBAt anunciou que Vanda Gomes deu positivo em exame realizado no dia 10 de novembro, fora do período de competições para a substância proibida Anastrozol (Hormônio e Modulador Metabólico – S4). A velocista não pediu a análise da segunda amostra dentro do prazo determinado.

Considerada uma das principais velocistas do Brasil, Vanda Gomes falhou na disputa do revezamento 4×100 metros no Mundial de Atletismo de 2013, em Moscou, ao deixar cair o bastão na transição para Franciela Krasucki, acabando com as chances de medalhas da equipe. Depois disso, disparou críticas, afirmando que a equipe treinou pouco e que alimentou-se e dormiu mal, criando atrito com a CBAt.