Revoltados com o início ruim do Vasco no Campeonato Brasileiro – ainda não venceu em três rodadas -, cerca de 30 integrantes de uma torcida organizada invadiram na tarde desta terça-feira o campo de São Januário, quando o time fazia aquecimento, e fizeram ameaças aos jogadores. Eles conversaram com o elenco por 20 minutos e, com dedos em riste, cobraram bons resultados, a começar por esta quarta, quando a equipe cruzmaltina recebe o Internacional.

“Moleque, isso aqui é Vasco!”, disse um torcedor para o meia Philippe Coutinho, já negociado com a Internazionale de Milão. O lateral-direito Elder Granja e o atacante Elton foram os que mais ouviram reclamações. Os zagueiros Fernando e Thiago Martinelli tentaram acalmar os ânimos dos mais exaltados.

Nenhum jogador foi agredido. Depois de se reunir com a equipe em pleno gramado, o grupo de torcedores voltou para as arquibancadas, de onde acompanhou o restante do treinamento.

“Temos que reagir o mais rápido possível. Espero que possa ser já no próximo jogo. O Internacional é uma grande equipe, mas quem pensa alto tem que fazer o dever de casa, brigar desde o início. O Vasco vai colocar acima de tudo a vontade. Isso não vai faltar”, prometeu Martinelli.

O presidente do Vasco, Roberto Dinamite, achou “normal” a manifestação dos torcedores. “O torcedor quer resultados. O Vasco jogou três partidas e ganhou um ponto. Existe uma preocupação. A reação é normal até, mas existe um limite, um limite de respeito”, argumentou.