A idéia da troca do Couto Pereira pelo Pinheirão reativou o ?Movimento Fora-Gionédis?, que promete retornar com tudo para pedir mais uma vez a cabeça do presidente do Coritiba.

O conselho deliberativo também está na mira e será cobrado pelos torcedores após ter avalizado a intenção de mudança de sede do clube para o estádio da Federação Paranaense de Futebol. ?Por que, de repente, ele (Giovani) resolve fechar o Alto da Glória e voltar para o Pinheirão. O MUC (Movimento Unido Coritibano) vai lutar pela permanência do clube no Couto Pereira?, disparou Édson Fink, líder da confraria.

Na quarta à noite, um grupo de torcedores contrários à atual gestão e alguns conselheiros de oposição se reuniram numa churrascaria da cidade para começar a traçar os planos de atuação. ?O nosso movimento é pelo Coritiba, em prol do Alto da Glória e vem pesado?, avisou. De acordo com ele, o grupo está apurando irregularidades no suposto projeto de construção do estádio. ?Mais dia, menos dia, vamos denunciar. Por que ele (Gionédis) está tão preocupado em construir estádio para a Copa se vai sair em dezembro. Não queremos que aconteça o mesmo que aconteceu com o Britânia, que foi vendido a preço de banana?, apontou.

Para Fink, não é plausível que um investidor construa um estádio novo sem exigir nada em troca e o Couto Pereira fatalmente entraria como moeda de troca. ?Virar museu ou ser usado para jogos de juvenil deve ser gozação, ele deve estar brincando?, disse. Por isso, o conselho também será cobrado pelo MUC e os torcedores aglutinados em torno do movimento. ?Vamos exigir do conselho explicações sobre essa negociata?, finalizou. Nos próximos dias, novas reuniões com outras lideranças políticas do clube e ações também serão organizadas contra a idéia da ida para o Pinheirão.