Desde a convocação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo, criticar Dunga era unanimidade entre a torcida. Além de deixar reivindicados craques de fora da viagem para África do Sul, o treinador havia blindado os jogadores do contato com o povo.

Ontem, porém, a história foi outra. Pela primeira vez, quem foi ao CT do Caju ver os treinos da tarde teve a entrada permitida e o nome do comandante canarinho foi ovacionado por todos.

No domingo, cerca de 150 torcedores haviam protestado durante os treinos. Afinal, todos tomaram chuva e se espremeram no portão de entrada da temporária casa canarinho, mas ninguém pôde ver os ídolos de perto.

Revoltados, diversos torcedores chegaram a gritar “Argentina, Argentina, Argentina” e a disparar palavras hostis contra o treinador canarinho. Ontem o grito da vez foi o contrário: “Valeu, Dunga! Valeu, Dunga!”.

“No Brasil, nossa paixão é futebol e carnaval. O carnaval só tem uma vez por ano. Se nos tirarem o futebol, o que será da gente? Por isso digo: o Dunga fez uma baita moral com o povo curitibano e brasileiro”, disse o auxiliar administrativo Rafael Biano, 23 anos, um dos presentes no CT na tarde de ontem.

Ninguém da CBF comentou o assunto oficialmente – embora seja de conhecimento da entidade que a blindagem de Dunga repercutiu negativamente no mundo todo.

Antes de abrir os portões para o público, o assessor da Seleção, Rodrigo Paiva, apenas havia dito que o escrete canarinho teria, sim, um contato com os torcedores paranaenses no CT do Atlético. Apesar do momento inesperado, a promessa foi cumprida.

Fabuloso treinou

Luís Fabiano estava entre os atletas que realizaram treinos físicos no CT do Caju. Depois de uma lesão sofrida em um jogo do Sevilla, o atacante ainda não havia sido visto treinando com o grupo canarinho. O meia Kaká, também se recuperando de lesão, continuou poupado pelo médico da CBF, José Luiz Runco.