O clube Rangers anunciou a retirada da ação judicial que colocou o Chile sob o risco de ser punido pela Fifa até com a desfiliação, ameaçando a participação da seleção na Copa do Mundo de 2010. “Vamos desistir do recurso que apresentamos”, afirmou Cristian Herrera, administrador da massa falida do Rangers.

A decisão foi tomada após uma reunião de emergência entre Herrera e credores da equipe de Talca, cidade que fica 252 quilômetros ao sul de Santiago. A Fifa não aceita que clubes acionem a justiça comum para resolver qualquer pendência ou que governos intervenham no futebol. Assim, a entidade havia dado 72 horas de prazo para que o caso fosse resolvido.

O Rangers tentava anular o seu rebaixamento, causado pela utilização de um estrangeiro a mais do que o permitido em uma partida do Torneio Clausura do Chile. Com a irregularidade, a equipe perdeu três pontos e decidiu entrar na justiça para impedir a realização da repescagem.