Niko Kovac pretende mesmo utilizar o mistério como arma decisiva para tentar surpreender a seleção brasileira nesta quinta-feira, no jogo de abertura da Copa do Mundo. Após fechar o treino realizado nesta quarta no Itaquerão, palco da aguardada partida de estreia do Brasil, o técnico croata se esquivou das perguntas sobre a escalação da sua equipe e reafirmou a intenção de tentar surpreender Luiz Felipe Scolari.

“Não vou falar sobre isso hoje. Eu não sei qual é a escalação do Brasil. Assim, seria justo que Scolari também não soubesse qual é a minha escalação. Se eu falar alguma coisa, vai estar amanhã nos jornais e eu não quero isso”, afirmou o treinador croata, na entrevista coletiva concedida no estádio após o treino de reconhecimento do gramado.

Kovac evitou até comentar se conta com algum dos brasileiros naturalizados croatas na equipe titular. O atacante Eduardo da Silva é um dos cotados para substituir o suspenso Mario Mandzukic, que está suspenso. “O Dudu é um jogador de grande habilidade, de muita qualidade. Mas, se vai jogar, não posso dizer”, desconversou o técnico – o meia Sammir começará no banco.

O atacante nascido no Rio disputa a vaga de titular com Jelavic. A tendência é que o brasileiro comece a partida no banco e entre no decorrer do jogo. Na defesa, restam ainda duas dúvidas. O treinador não confirmou se poderá contar com o zagueiro Shildendeld, que ficou fora de alguns treinos por conta de dores na perna. E evitou assegurar a improvisação do lateral-direito Sime Vrsaljko no lado esquerdo, na vaga de Pranjic, vetado.

Kovac não indicou qual será o time titular da Croácia, mas antecipou qual será a principal estratégia da equipe em campo. “Gostamos de ter a posse de bola, assim como o Brasil. Se tivermos a posse, o oponente não pode marcar um gol. E também sabemos que o Brasil não gosta muito de correr atrás da bola”, comentou.

Em busca da posse, o técnico prometeu forte marcação nos atacantes brasileiros. “Se quisermos ser bem-sucedidos, temos que marcar. Vamos tentar manter a bola o máximo possível e criar chances quando der. Vamos atacar”, avisou ele, antes de ponderar: “Claro que é mais fácil falar do que fazer”.

Diante da missão de enfrentar o favorito ao título, Kovac admitiu que um empate seria um “resultado positivo”. “Tentaremos surpreender e buscar um resultado positivo. E vocês podem imaginar o que seria um resultado positivo. Não vamos desistir até o último minuto. Tenho certeza que amanhã esta equipe poderá criar um resultado histórico”, projetou.