Sob a promessa de que agora é definitivo, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e os clubes da série B do campeonato brasileiro celebraram ontem mais um novo acordo e divulgaram a fórmula de disputa da competição, além de adiar novamente o seu início, do dia 19 para 26. E, enquanto o acerto era negociado, representantes da Futebol Brasil Associados (FBA entidade representante dos times da segunda divisão) fizeram lobby em Brasília com o objetivo de arrecadar recursos do governo federal.

De acordo com o diretor-Técnico da CBF, Virgílio Elísio, o novo modelo da competição contou com a anuência de Palmeiras e Botafogo, além dos demais participantes. “Agora, só falta convocarmos um Conselho Técnico dos clubes da Série B para ratificar as mudanças de regulamento”, frisou o dirigente. Explicou que o empecilho à realização da competição nos mesmos moldes da primeira divisão foi a “inviabilidade da comercialização dos direitos de transmissão por televisão do campeonato brasileiro da série B”.

Para chegar à série A, em 2004, os times vão se enfrentar em turno único, apenas com jogos de ida (fase preliminar), classificando-se os oito primeiros para a disputa da fase semifinal, em jogos de ida e volta, divididos em dois grupos de quatro.

As duas melhores equipes de cada grupo participarão de um quadrangular final, também em jogos de ida e volta, onde os dois melhores obterão as vagas. O presidente da FBA, Peter Silva contou que com a nova fórmula de disputa o custo de realização da série B caiu em 50%.

Antes, com 46 partidas para cada equipe, a estimativa orçamentária era de R$ 30 milhões. Agora, com o total de 35 rodadas, é de R$ 15 milhões. “A TV fechada vai nos pagar R$ 10 milhões pela competição com direito à exclusividade”, disse Peter Silva. “Mas, espero fechar um acordo com a emissora para receber só R$ 5 milhões, conseguir uma porcentagem nas transmissões por pay-per-view (que ficaria para Palmeiras e Botafogo) e ter o direito de negociar a segunda divisão com uma TV aberta.”

Silva ainda explicou que o motivo para o novo adiamento, o terceiro, foi por causa do feriado da Páscoa. Para o dirigente, se a segunda divisão começasse no dia santo traria prejuízo aos clubes, já que muitas pessoas viajam neste período. Além da falta de acomodação para as delegações nos hotéis.

Lobby

Com a realização da série B aparentemente assegurada, quatro dirigentes da FBA chegaram ontem a Brasília e hoje se encontram com os ministros do Esporte, Agnelo Queiroz, e da Saúde, Humberto Costa. A tentativa é a de arrecadar a maior quantidade possível de recursos para os clubes da segunda divisão. Os dirigentes vão oferecer espaços publicitários em troca do apoio governamental. “O ministro da Saúde já mostrou sensibilidade ao nosso projeto. Vamos esperar a reunião”, disse o diretor-superintendente do América-MG, Alexandre Faria.