A busca pelos últimos reforços foi ‘abreviada’ em pelo menos uma peça. Como as especulações em torno de Roniery não evoluíram, a diretoria e o empresário Marcos Amaral já dão como certa a permanência do jogador na Vila Capanema. ‘Esta é a tendência. Creio que atende ao desejo da diretoria e da torcida, que sempre demonstrou uma grande empatia com o Roniery’, disse Marcos Amaral. Coritiba, Palmeiras e um clube do Rio de Janeiro tentaram levar o jogador, mas nenhuma das propostas atendeu às expectativas da diretoria.

Roniery, assim, deve iniciar a temporada 2014 como titular da camisa 2, sendo que o clube conta com outros dois garotos para o setor: Rodrigo Mann e Neto. Contratado junto ao Sampaio Correia, após um ótimo Paulistão pelo Mogi Mirim, Roniery sempre se mostrou um lateral muito participativo, seja na marcação ou no apoio, adequado ao estilo de jogo adotado por Dado Cavalcanti, que sempre pregou a necessidade de um futebol intenso. Resta saber qual será a diretriz estabelecida pelo novo treinador e como o ala irá se encaixar na filosofia de Milton Mendes.

Por conta de sua entrega ao longo dos jogos – e de sua compleição física – Roniery foi um dos jogadores mais ‘caçados’ da Série B. A ponto de ficar um mês afastado dos gramados devido a uma séria lesão facial, sofrida no jogo contra o Bragantino, ainda no primeiro turno. O lateral passou por cirurgia para a correção de uma fratura na mandíbula e, quando voltou, teve que disputar com Moacir uma vaga no time. Roniery, para muitos, é uma peça-chave na dinâmica de jogo do Tricolor, na condição de uma válvula de escape pelo lado direito do campo.