Robert Scheidt e Bruno Prada terminaram em quinto lugar e não conseguiram conquistar o bicampeonato da Star Sailors League Finals, competição da classe Star encerrada neste sábado, em Nassau, nas Bahamas. O título ficou com os norte-americanos Mark Mendelblatt e Brian Fatih, sendo que os melhores velejadores brasileiros foram Jorge Zarif e Henry Boening, na quarta posição.

Competição criada no ano passado para manter a Star em evidência após ter saído do programa olímpico, a Star Sailors League Finals teve 20 barcos participantes nesta segunda edição. Após nove regatas em três dias na fase de classificação, apenas os 11 melhores avançaram para as disputas deste sábado, quando mais três regatas foram realizadas para definir o campeão.

Campeões no ano passado, Scheidt e Bruno Prada saíram da fase de classificação na vice-liderança, atrás apenas dos suecos Fredrik Loof e Anders Ekstrom, atuais campeões olímpicos da Star. Neste sábado, porém, os brasileiros não avançaram nem para a terceira e última regata, quando só os quatro melhores permaneciam na disputa. Enquanto isso, o barco da Suécia foi vice-campeão, seguido pelos poloneses Mateusz Kusznierewicz e Dominik Zycki, que ficaram em terceiro.

Dona de três títulos mundiais e duas medalhas olímpicas na Star, a dupla brasileira se reuniu especialmente para a competição nas Bahamas. Atualmente, Scheidt dá prioridade para a classe Laser, na qual pretende competir na Olimpíada do Rio, em 2016. Mas reencontrou seu antigo parceiro Bruno Prada para tentar o bicampeonato da Star Sailors League Finals.

“Foi bom ter corrido o campeonato para manter contato com a classe. Nas regatas deste ano, alternamos bons e maus momentos. Na semifinal, optamos pela direita da raia e o vento rondou para a esquerda. O nível está ainda mais alto com a presença dos melhores velejadores do mundo. Um evento espetacular”, comentou Scheidt, após conseguir o quinto lugar na disputa.