Para amenizar os problemas financeiros causados por uma dívida de R$ 75 milhões, sem contar refinanciamentos passados, o Santos estuda antecipar uma parte do valor do patrocínio da empresa chinesa de tecnologia Huawei, que estampará sua marca nas camisas do clube em 2015. Os chineses pagarão R$ 18 milhões, e o clube negocia a antecipação de 40% (R$ 7,2 milhões) do valor.

A empresa chinesa estampou sua marca na camisa do Santos nos últimos jogos do Campeonato Brasileiro e na partida de volta da semifinal da Copa do Brasil, diante do Cruzeiro, na Vila Belmiro. Segundo a previsão orçamentária para 2015, a expectativa é arrecadar R$ 33 milhões com patrocínios. Atualmente, o time profissional tem três patrocinadores: a empresa chinesa no espaço principal, uma escola de idiomas nos ombros e uma empresa do ramo de tubos e conexões nas mangas.

Por causa da crise, o Santos atrasou o pagamento de salários do elenco em diversos momentos. O novo presidente herdou uma pendência de dois meses sem pagamentos dos valores registrados em carteira, além de três meses de direito de imagem, a maior fatia dos vencimentos dos atletas.

Os atrasos, que atingiram também outros funcionários, obrigaram a direção a adiantar toda a cota de TV que o Santos receberia em 2015. Outra saída para o novo presidente amenizar a crise seria tentar antecipar os R$ 80 milhões de cotas de transmissões de 2016 – as de 2015 já foram antecipadas e utilizadas.