A primeira semana de intertemporada sob a direção de Dado Cavalcanti será marcada por ajustes no elenco. O Paraná Clube, entre reforços contratados e remanescentes do Campeonato Paranaense, já conta com um grupo relativamente inchado. No total, mesmo sem contar com atletas entregues ao departamento médico, o elenco chega a 38 jogadores. “Temos algumas situações que estão sendo resolvidas junto aos nossos parceiros e que não envolvem a comissão técnica”, frisou o vice presidente Paulo César Silva, descartando a famigerada “lista de dispensas”. “Isso já não existe. Há um contrato, que se renova ou não”, completou o dirigente.

Foi com essa diretriz, por exemplo, que o clube optou por não renovar o contrato de Toninho Cecílio e mudar a sua filosofia de trabalho com a contratação de uma nova comissão técnica para a disputa da Série B. Neste processo, atletas que foram observados no Estadual não vão seguir no clube para o Brasileiro. Gabriel Marques e Gilton já negociam suas saídas, enquanto Massari será devolvido ao Internacional. “O normal é você trabalhar com duas opções por posição. Como estamos contratando laterais, as saídas são inevitáveis”, afirmou Paulo César Silva.

O Paraná deverá, ainda, emprestar alguns jogadores, possivelmente para equipes de divisões inferiores. O volante Júnior Capixaba e o atacante Paulo René têm duas opções de clubes da Série C, segundo o empresário Marcos Amaral. Como a chegada de mais reforços é dada como certa, outros cortes deverão ocorrer.

O nível de competitividade da Série B deve também resultar no “amadurecimento” do grupo. Ao longo do Paranaense, o Tricolor recorreu com intensidade às categorias de base. Aqueles que conseguiram se firmar – como Júlio César e Carlinhos – estarão no grupo para a Série B.