O GP do Brasil será a última chance para os pilotos estreantes nesta temporada da Fórmula 1 mostrarem serviço e confirmarem suas vagas nas equipes nanicas para 2014. Entre eles estão o holandês Giedo Van der Garde, da Caterham, e o inglês Max Chilton, da Marussia.

“Não posso dizer nada ainda. Meu empresário está bem ocupado agora. Espero que ele faça um bom trabalho”, disse o ansioso Van der Garde, que confia em sua performance neste ano para renovar com a Caterham. “Acho que provei meu valor nesta segunda parte do campeonato e acredito que venho fazendo bom trabalho. Espero estar aqui de novo no próximo ano.”

Chilton aparenta cansaço diante dos rumores que cercam a categoria nesta época do ano, quando as equipes definem seus pilotos para a temporada seguinte. “Não vou especular mais do que já especularam. Abrimos boas conversas nas últimas semanas e estou satisfeito com estes contatos”, disse o inglês da Marussia. “Estou com os dedos cruzados.”

 

Assim como os dois estreantes, o francês Charles Pic, que está em sua segunda temporada na Fórmula 1, ainda busca garantir a permanência em 2014. Atualmente na Caterham, ele acredita que poderá ter chance em outras equipes. “Acho que a coisa mais lógica para mim seria permanecer na Caterham. Mas nada está certo ainda. Acho que há vários lugares disponíveis nas equipes para o próximo ano, então nada está definido neste momento”, afirmou o piloto.

O trio ocupa as últimas posições no Mundial da Fórmula 1. Nenhum somou pontos na temporada ainda, assim como o francês Jules Bianchi, o outro piloto da Marussia. Cientes das limitações das equipes nanicas, eles torcem por chuva no domingo, em Interlagos, para terem chance de surpreender os rivais.

“Chuva nos ajudaria bastante. Não podemos contar somente com a velocidade em uma pista seca. Então, vamos precisar de sorte. Também espero que outros carros sofram alguma colisão ou tenham problemas mecânicos. Nosso carro parece andar bem na chuva”, disse Van der Garde, sem meias palavras. “Temos que dar uma última forçada. Será a última chance.”

 

A previsão é de chuva em São Paulo a partir desta sexta-feira, dia em que os carros irão para a pista para os dois primeiros treinos livres do GP do Brasil. A temperatura deve cair para 17 graus (os termômetros marcaram 27 graus na tarde desta quinta em Interlagos) no sábado e no domingo.