Dois tempos distintos e uma derrota doída. Foi o resumo que o técnico Matheus Costa fez após a derrota do Paraná Clube para o Guarani por 1×0, neste sábado (21), no Brinco de Ouro, em Campinas. O resultado encerrou a série invicta de seis jogos na Série B do Campeonato Brasileiro, e joga pressão na equipe para o confronto da próxima quarta-feira (25), às 19h15, contra a Ponte Preta, na Vila Capanema.

+ Confira como foi o jogo no nosso Tempo Real!

“Tivemos o domínio do jogo no primeiro tempo, e o Guarani teve esse controle no segundo. Eles tiveram duas oportunidades de finalização, e fizeram dois gols. Um foi anulado e o outro foi o gol da vitória deles. Neste nível de competição, precisamos ter mais eficiência, porque criamos oportunidades e não conseguimos marcar”, comentou o treinador, ainda em Campinas. “Não podemos aceitar esse tipo de situação, sempre tropeçando contra times que estão na parte de baixo da tabela”, completou.

+ Confira o quarto episódio do podcast De Letra! Baixe e ouça!

Foi a sétima derrota do Tricolor na Segundona. As outras foram para Vila Nova, Ponte Preta, Sport, Londrina, Vitória e São Bento – destes, apenas o Sport está acima do Paraná na classificação. “A gente precisa aprender a aproveitar a pressão deles. O Guarani estava muito mais pressionado que nós nesta partida. E se tivéssemos somados poucos pontos diante desses clubes, a gente estaria no G4. Quem tem que controlar essas partidas somos nós, e não os adversários”, comentou o treinador.

Escolhas

O técnico paranista explicou as presenças de Fernando Neto e Pimentinha no banco de reservas – os dois entraram no segundo tempo e melhoraram o time. “A gente sabia que se usasse o Fernando Neto por 100 minutos hoje (sábado), não teríamos a certeza da utilização dele contra a Ponte Preta. Priorizamos o fator casa e também usamos a nossa estratégia”, disse Matheus. “Mas infelizmente uma bola na área bem aproveitada pelo Michel Douglas nos tirou o resultado”.

Confira a classificação atualizada da Série B!

Com sete partidas sem vitória dentro da Vila Capanema (seis empates e uma derrota, com apenas dois gols marcados), o treinador admite que agora não há desculpas. “A gente sabe da importância de vencer dentro de casa. Inclusive pra ter o torcedor do nosso lado”, afirmou. Matheus Costa admitiu até mexer no time para deixar o Tricolor mais ofensivo. “Já fizemos tentativas, mas agora é o momento em que precisamos ter todos no limite para poder vencer. As partidas estão sendo definidas no detalhe, e não podemos cometer os erros que estamos cometendo”, finalizou.

Boleiros

Para os jogadores do Paraná, o time rendeu e criou oportunidades, mas faltou capricho para vencer o Guarani em Campinas. “Nós críamos várias oportunidades e não fomos felizes”, resumiu o lateral-direito Eder Sciola. “Eles tiveram uma chance e marcaram”, completou o zagueiro Leandro Almeida. Assim como o treinador, eles garantem recuperação diante da torcida. “A Série B é muito difícil, mas temos que corrigir nossas falhas e vencer”, disse o atacante Pimentinha. “Chegou a hora de fazer valer o fator casa”, encerrou Eder Sciola.