Foto: Valquir Aureliano

Vinicíus Pacheco, que entrou
no segundo tempo contra o Potosí, começa jogando ao lado de Lima.

A maratona de jogos e viagens já desgastou o elenco do Paraná Clube, mas muita correria ainda está por vir. Precavida, a comissão técnica tricolor dá mais um descanso aos titulares e escala novamente uma equipe baseada em reservas contra o Rio Branco, amanhã, na Vila Capanema.

Entre os onze jogadores que começaram a partida contra o Real Potosí, somente o zagueiro João Paulo e o volante Goiano foram escalados por Zetti no coletivo realizado ontem de manhã, no campo do Centro Politécnico da Universidade Federal do Paraná. O técnico só confirma hoje, mas deve mesmo poupar os demais titulares diante do Leão da Estradinha – eles sequer participaram do treino e ganharam folga inusitada para uma sexta-feira.

Goiano entra com o fôlego preservado, por não ter viajado à Venezuela para enfrentar o Unión Maracaibo pela Libertadores – ele cumpriu suspensão. João Paulo, por sua vez, não é titular e joga também porque há poucas opções no setor. O time para enfrentar o Rio Branco deve ter Marcos Leandro; Alex, João Paulo, João Vítor e Digão; Goiano, Felipe Alves, Elton e Everton; Vinícius Pacheco e Lima.

Para o preparador físico Fernando Moreno, manter o atual ritmo de partidas significaria aumentar muito o risco de lesões. Desde o início da temporada, em 14 de janeiro, o Tricolor já disputou 13 partidas, incluindo demoradas viagens a Calama e Maracaibo. E entre amanhã e o dia 14 de março, fará inacreditáveis 7 jogos em 17 dias – quase um a cada dois dias. ?Estamos treinando durante os jogos?, falou o preparador, que já percebeu reflexos do desgaste no confronto contra o Potosí.

Para Zetti, além do desgaste físico com jogos e viagens, o emocional também influi. ?No domingo vamos preservá-los e tirar o estresse da Libertadores?, falou o técnico, que deve voltar a usar o ?time A? somente contra o Iguaçu, quarta-feira. Até agora, a federação não mudou a tabela que prevê outra partida atrasada no dia seguinte, contra o Roma, também na Vila – o que obrigaria o Paraná a novamente usar o ?time B?.

Tricolor vai de Penalty

Agora é oficial: a Penalty é a nova fornecedora de material esportivo do Paraná Clube. A empresa assinou ontem contrato de três anos com o Tricolor, logo depois do rompimento do vínculo com a espanhola Joma.

A proposta da Penalty foi considerada a mais interessante entre as três recebidas após a classificação para a Libertadores. De acordo com o diretor de marketing Luiz Carlos Casagrande, as vantagens em relação ao contrato com a Joma são o pagamento de royalties de 10% do material vendido, bônus em dinheiro por conquistas, como título estadual e classificação a fases seguintes da Libertadores, e o fornecimento de material a todas as categorias de base do clube. ?A Penalty também gostou de nossa sugestão de remodelar todas as lojas do clube?, disse ?Casinha?.

A apresentação oficial dos novos uniformes acontece na próxima sexta-feira, na sede da Avenida Kennedy.

A estréia será no jogo contra o Flamengo, dia 14, pela Libertadores. Até lá, o clube pretende também fechar contrato de patrocínio ?máster? na camisa, em substituição à Embracon, que deve migrar para as mangas ou o calção.