Único problema da Vila olímpica é o
Afonso Pena, que impede instalação de torres.

Conselheiros do Paraná, preocupados com as constantes mudanças de “endereço” nos jogos do clube, criaram comissão para a recuperação dos estádios Durival Britto e Érton Coelho Queiroz. A meta é adequar as duas praças ao regulamento do Brasileirão e, futuramente, ao Estatuto do Torcedor. A iniciativa visa evitar contratempos como os ocorridos nas últimas semanas, quando o Tricolor precisou partir para a locação do Couto Pereira e do Joaquim Américo, devido às obras de ampliação do Pinheirão.

Compõem a comissão, liderada pelo presidente do conselho deliberativo José Carlos de Miranda, outros sete conselheiros – Miguel e Peterson Morosco, Alphonse Voigt, Waldomiro Gayer Neto, Rodrigo Meister, João Arnaldo e Ivan Ravenucci – e o objetivo é iniciar o quanto antes a ampliação da Vila Capanema. “É uma questão de fácil solução. Estamos orçando a obra, mas ela deve ser iniciada o quanto antes”, comentou o professor Miranda. O Durival Britto tem, hoje, capacidade para 12.000 lugares.

“Há algumas idéias, mas devemos partir para a alternativa mais prática e de menor custo”, disse Miranda. Com a construção de cinco novos degraus em toda a curva de fundos do estádio, seriam criados quatro mil novos lugares (800 pessoas por degrau), o suficiente para que a Vila fosse aprovada para o atual campeonato brasileiro, que estabelece como capacidade mínima 15 mil lugares sentados. Além desta ampliação, o Tricolor teria ainda que instalar novos pára-raios, atendendo à solicitação do Corpo de Bombeiros.

No momento, a Vila Capanema sequer está sendo utilizada para treinamentos, pois o gramado ainda está sendo recuperado e só deve estar pronto para trabalhos técnicos e táticos a partir da próxima semana. A situação do Érton Coelho Queiroz também está sendo analisada. Devido à ausência de um projeto de pára-raios, a Vila Olímpica está com capacidade limitada para três mil torcedores. No ano passado, com o apoio do conselheiro Altair Barranco, toda a cobertura das sociais do Érton Coelho foi recuperada.

A dificuldade maior para a utilização da Vila Olímpica está na impossibilidade de implementação de torres de iluminação, devido à proximidade do estádio com o Aeroporto Internacional Afonso Pena. “O objetivo é pôr um fim a todas estas pendências. Desta forma, teremos dois estádios com capacidade para dezesseis mil torcedores cada um”, finalizou Miranda.

Dúvidas

O técnico Edu Marangon pretendia iniciar seu trabalho à frente do Paraná com um treino tático na tarde de ontem. Com três jogadores no departamento médico – Valentim, Milton e Marquinhos – o treinador reformulou a programação. Espera contar com pelo menos um dos laterais-direitos e com o meia já na atividade desta tarde. Confirmou apenas a entrada de Flávio Guilherme no comando do ataque, em substituição a Renaldo, suspenso.