O Paraná Clube viu suas chances de acesso caírem a apenas 30,4% (segundo o site Chance de Gol). Reflexo de mais um deslize em casa. No segundo turno, o Tricolor perdeu nada menos do que 12 pontos na condição de mandante. Ao longo da primeira metade da Série B, foram apenas quatro pontos perdidos em casa. ‘Foi o empate mais dolorido. Mas temos poucos dias para outra decisão e a reação terá que ser imediata’, cravou o técnico Dado Cavalcanti, ainda inconformado com o gol sofrido aos 48 minutos do segundo tempo, diante do Atlético-GO.

A tarde de ontem foi marcada por reuniões entre dirigentes, integrantes da comissão técnica e jogadores. ‘O ponto principal foi dar força ao grupo, pois ainda estamos no G4 e dependemos apenas de nossas forças’, disse o superintendente Celso Bittencourt. Uma posição compartilhada por Dado Cavalcanti. ‘Na medida em que temos confrontos diretos, como este de sábado, não dependemos de combinações. Só que não temos margem para erros’, reconheceu.

Compromisso

O Paraná vai a Joinville precisando de uma vitória para devolver, acima de tudo, confiança ao elenco. ‘É claro que um empate como esse é dolorido. Mas o time foi valente e buscou o resultado. Não podemos apagar essa luta por um erro, mesmo que ele tenha nos custado dois pontos’, disse o meia-atacante Luisinho, que voltou a marcar um gol com a camisa tricolor, o primeiro dele nesta Série B. ‘Neste momento, estou feliz pelo meu desempenho, pela oportunidade que o Dado me deu, mas muito triste pelo resultado’.

Luisinho vê a possibilidade de ir além nesta reta final e brigar de forma direta pela condição de titular, o que não acontece desde o Campeonato Paranaense.