O clássico do próximo sábado (25) traz preocupação para as autoridades. O assassinato do torcedor paranista Diego Henrique Raab Goncieiro, de 16 anos, ocorrido no início de julho, na frente da sede da Torcida Fúria Independente, gerou uma expectativa tensa para o jogo entre Paraná e Atlético.

Com isso, a segurança será reforçada na capital paranaense no próximo sábado. Serão cerca de 600 profissionais responsáveis pela paz na cidade.

Dentro da Vila Capanema, as Organizadas prometem fazer a festa para empurrar seus respectivos times. Em nota, publicada em seu site oficial, a Torcida Fúria Independente pediu uma mobilização dos seus integrantes para apoiar a equipe.

Allan Costa Pinto
Fúria Independente pediu mobilização dos torcedores para o clássico.

“Temos a certeza que com sua mobilização, seu apoio e sua força, a torcida tomará, mais uma vez, a curva norte de Branco. Para nós não importa a situação, pois nos momentos mais difíceis é que conhecemos nossos guerreiros”, diz uma parte da nota.

A Os Fanáticos fez questão de alertar os torcedores atleticanos com relação às medidas de segurança para o clássico, ressaltando que não será possível adentrar ao estádio com materiais da torcida. Em nota, a organizada também destacou que haverá segurança em sua sede desde o período da manhã.

Paraná Clube e Atlético se enfrentam no próximo sábado, às 16h, na Vila Capanema, em partida válida pela última rodada do primeiro turno da Série B.