A guerra política parece não ter fim no Corinthians. Um dia após o presidente Alberto Dualib garantir ter feito um acordo com Kia Joorabchian em Londres, no qual traria dinheiro e jogadores para o clube, a oposição, encabeçada por Andres Sanches, garantiu ter ouvido do iraniano, em encontro na capital inglesa, que tudo não passou de uma grande mentira.

A informação é que Dualib não trará nenhum centavo da MSI, que não conversou com Kia pois ele estava em Dubai e que está fazendo uma manobra para tentar ter suas contas aprovadas na reunião do Conselho, na quinta. Reunião essa que os oposicionistas temem que seja adiada.

A situação garantiu ao Estado que o israelense Pini Zahavi assumiu o controle dos investimentos no clube. A versão da oposição traz que ele apenas pretende colocar alguns de seus jogadores no clube pois é agente Fifa.

Caso Dualib desembarque no País sem cumprir suas promessas, a possibilidade de sofrer um impeachment é grande. Opositores o acusam de ser o principal responsável por ter acabado com a harmonia no clube, quando resolveu peitar Kia Joorabchian e contratar o técnico Emerson Leão. Desde aquele momento, acusam, começou a dizimar os jogadores contratados pela parceira e entrou em guerra declarada com o iraniano.

O Estado tentou contato por telefone com Jorge Kalil, vice-presidente de marketing do Corinthians que serviu de porta-voz de Dualib várias vezes e não obteve retorno.