Rio de Janeiro – A indisciplina do atacante corintiano Carlitos Tevez poderá lhe custar até um ano de suspensão, por ter agredido verbalmente o árbitro Anselmo da Costa (SP), na derrota de sábado para o São Caetano, por 2 a 0, pela 18.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O juiz escreveu na súmula que, por duas vezes, o argentino o xingou e, agora, a procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidirá em qual artigo o atleta será denunciado.

?Aos 89 minutos de partida, expulsei o atleta n.º 10, o Sr. Carlos Alberto Tevez, da equipe E.C. Corinthians Paulista, por haver, depois de advertido com o cartão amarelo, reclamado de uma falta supostamente não marcada, dizendo as seguintes palavras ?puta que lo pariu? (expulso em decorrência do 2º cartão amarelo)?, relatou o árbitro. Em seguida, se referiu a segunda ofensa feita pelo jogador. ?Informo ainda, que após a mostragem do cartão vermelho, o mesmo proferiu as seguintes palavras: ?concha tu madre?.?

Ao final da partida, Tevez, admitiu aos jornalistas que xingou a mãe do árbitro de ?piranha?. E alegou em sua defesa que Anselmo da Costa também o teria agredido verbalmente, fato que o juiz não explicou na súmula.

O que pode agravar a situação de Tevez é o fato de ele ser reincidente, já que no dia 8 de junho foi condenado a uma partida de suspensão pela expulsão contra o Atlético-MG, pela sexta rodada do Brasileiro. O departamento Jurídico do Corinthians trabalhava somente com a hipótese de Tevez ser denunciado no art. n.º 252 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê uma punição entre duas e seis partidas. E ainda tentariam desqualificar a denúncia para o art. n.º 251, suspensão entre 1 e quatro jogos.

Mas, como a agressão de Tevez, escrita na súmula pelo árbitro, está sendo considerada grave no STJD, a tendência é a de que seja julgado no art. n.º 188, pena entre 30 e 180 dias, que é dobrada caso a ofensa tenha sido realizada também em algum órgão de imprensa, como ocorreu.

Atitude

?Não notei nada de anormal, mas vou fazer um levantamento para detectar se esse problema existe e poder tomar alguma iniciativa?, limitou-se a dizer o presidente do STJD, Luiz Zveiter, em relação o fato de as agressões de jogadores aos árbitros estarem se repetindo. Por exemplo, o lateral-direito do São Paulo, Cicinho, será julgado quarta-feira e poderá ser condenado a seis meses de suspensão, por ter xingado o árbitro Lourival Dias Lima Filho (BA) de ?filho da p…?.