enkontra.com
Fechar busca

De Letra

MP nega ter vetado polícia dentro da Arena Joinville

Tão logo as cenas de selvageria na Arena Joinville ganharam o noticiário mundial, com a briga deste domingo entre torcedores de Atlético-PR e Vasco pela última rodada do Brasileirão, começou o jogo de empurra sobre a responsabilidade pela segurança no estádio.

Comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar de Joinville, o tenente-coronel Adilson Moreira afirmou que a falta de policiamento no interior do estádio foi motivada por um “entendimento” entre as instituições de segurança do Estado. Na hora da briga, apenas seguranças particulares estavam dentro da arena, enquanto a PM atuava do lado de fora.

“É uma questão de entendimento tanto do Ministério Público de Santa Catarina quanto da Polícia Militar de Joinville. É um evento privado, e a Polícia Militar tem que fazer seu policiamento na área externa”, afirmou o tenente-coronel, que, depois da briga, mobilizou a polícia e reforçou o efetivo dentro do estádio para permitir a continuação do jogo.

Por meio de nota, o Ministério Público refutou a declaração do tenente-coronel Adilson Moreira, afirmando “que não fez nenhuma recomendação ou ação que impeça a Polícia Militar de atuar no interior do estádio Arena”.

Segundo o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Atlético-PR deve ser punido pela confusão. “A responsabilidade objetiva é do clube e de seus dirigentes, para elaborar junto com o Poder Público um plano de segurança para as partidas de futebol”, explicou o presidente do órgão, Flávio Zveiter, em entrevista ao SporTV. O Atlético-PR contratou 100 seguranças de uma empresa privada para atuar no interior da Arena Joinville durante a partida. Mesmo sendo o visitante, o Vasco também deverá ser punido em função da participação de seus torcedores na confusão.

Em entrevista por telefone, o procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, afirmou que estava acompanhando as imagens da briga pela tevê e chegou a perder a voz ao comentar o episódio. Depois, balbuciou à reportagem: “Essa punição, perda de mando de campo, tem que ser com portões fechados, sempre defendi isso”. Em seguida, ele se desculpou e disse que não tinha condições de se pronunciar.

Paulo Schmitt deve oferecer denúncia contra Atlético-PR e Vasco até quarta-feira. O julgamento do caso deve ocorrer em primeira instância na semana que vem.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

3 Comentários em "MP nega ter vetado polícia dentro da Arena Joinville"


ramiro williams
ramiro williams
5 anos 8 meses atrás

Adilsão se agarre no pincel que o MP te puxou a escada véi!!! Acho que ocê vai sentar no banco depois de tudo isso. Depois da coisa preta também saiu puliço barriga verde até dos bueiros. Ondé que tava tudo aquele povo?

ramiro williams
ramiro williams
5 anos 8 meses atrás

É normal as autoridades cheias de impáfia e otoridade! Na hora que a coisa fede todos tentam tirar da reta. Não fiz, não falei, não mandei. E fica tudo por isso mesmo ou os bagrinhos é que pagam com o pescoço. O dotô sai limpinho e sem máculas!

ramiro williams
ramiro williams
5 anos 8 meses atrás

É uma desculpa deslavada! Empresa de segurança privada não tem, nem pode ter pela legislação armamento nem treinamento específico para controle de tumulto. É atribuição legal do Estado, se pedido tem que ser garantido. Alguém vai responder por isso

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas