Moscou – O Brasil fez dobradinha na prova de solo da etapa russa da Copa do Mundo de Ginástica Artística, em Moscou. Daiane dos Santos ficou com a medalha de ouro competindo pela primeira vez com a coreografia da música Isso Aqui o que É, de Ary Barroso. Completou seus exercícios sem falhas e obteve nota 15.300. Laís Souza, outra brasileira, na disputa, participou com a coreografia de Aquarela do Brasil e ficou com a prata, nota 15.000.

Mesmo com a vitória, Daiane, que não disputou as primeiras etapas da copa do mundo por causa de uma contusão no cotovelo esquerdo e do revezamento de atletas promovido pela Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), não ficou totalmente satisfeita com sua apresentação. "Acho que ainda têm algumas falhas e, portanto, pode ser melhorada", disse.

Daiane conta que competiu preocupada com o resultado final de sua performance. "Eu não sabia o que esperar porque não tinha idéia do estágio em que se encontravam as meninas de outros países. E também nunca havia competido com esse novo sistema de pontuação", explica. "Achei que o nível está bastante elevado, embora praticamente todas ainda estejam tentando se entender com as regras." Daiane também ficou em oitavo nas barras assimétricas.

Laís Souza ficou com duas medalhas. Além da prata no solo foi bronze no salto. "Disputei três finais aqui em Moscou e subi duas vezes ao pódio, mesmo tendo caído no salto. O segundo lugar no solo ficou dentro do esperado." Na trave ficou em oitavo, resultado que a irritou. "Fiquei com raiva por causa dos meus erros. Um deles ainda deu para aceitar, porque o movimento era difícil, mas o outro foi muito bobo".

Daniele Hypólito, que voltava às competições depois de recuperada de contusão no ombro direito, não teve sorte na trave. Errou e ficou em sexto lugar.

Mas o Brasil não foi só alegria e medalhas em Moscou. O ginasta Adan Santos disputou a final do salto, mas sofreu uma séria contusão na região do joelho direito ao falhar na aterrissagem de sua apresentação. Saiu do ginásio, em Moscou, direto para o hospital, onde não foi constatada fratura. O atleta chegará no domingo ao Brasil com a perna imobilizada. Os médicos da confederação farão exames para saber se Santos sofreu algum outro tipo de lesão e se precisará passar por cirurgia.