O novo presidente do Santos, Modesto Roma Junior, ironizou o interesse do Cruzeiro pelo atacante Leandro Damião. Questionado sobre uma eventual liberação do centroavante por empréstimo de um ano, dividindo igualmente os salários dele (cerca de R$ 650 mil por mês) com o clube mineiro, Roma citou o argentino Lionel Messi como exemplo. “Eu gostaria de ter o Messi e bancar só 10% dele”, afirmou o dirigente em entrevista coletiva nesta segunda-feira, na Vila Belmiro, em Santos.

Leandro Damião foi contratado pelo clube alvinegro no início de 2014, mas ainda não conseguiu repetir as boas atuações que o levaram à seleção brasileira. Para tirá-lo do Internacional, os santistas pagaram R$ 42 milhões a partir de um empréstimo por um fundo de investimentos. O clube tem cinco anos para devolver o valor, com juros de 10% ao ano. Leandro Damião terminou 2014 com 43 jogos, 11 gols e cinco assistências.

Apesar das dificuldades financeiras do Santos, com dois meses de salários atrasados, Modesto Roma evitou críticas ao antecessor Odílio Rodrigues, que também participou da entrevista. “Erros e acertos sempre acontecem e sempre acontecerão. Estamos aqui com a missão de dirigir o Santos por três anos. Vamos dirigir o clube fazendo o nosso melhor. Eu tenho certeza de que o Odílio também fez o seu melhor”, afirmou o novo presidente.