Falta muito pouco para a equipe Memorial-Santos comemorar o bicampeonato na Volta Ciclística do Estado de São Paulo, uma das mais importantes da América. Hoje o grupo compete só com uma missão: "proteger" a sua nova estrela, o argentino Jorge Giacinti, líder da competição, em quatro das oito etapas realizadas. "Agora, todo o cuidado é pouco. Vamos colocar toda a equipe escoltando o Giacinti. Temos uma vantagem, mas não podemos nos descuidar. Felizmente, a nossa estratégia deu certo", afirmou o técnico da equipe, Cláudio Diegues.

Na estratégia da equipe, também está prevista uma chegada emocionante na Cidade Universitária, em São Paulo. O escolhido é Armando Camargo, o Piá, outra nova contratação da equipe e especialista em sprint final. Na Copa América, ele estava muito bem colocado para fazer uma chegada forte, mas foi atrapalhado pelo argentino Cristian Leon e acabou sofrendo uma queda faltando poucos metros. "Fiquei muito chateado. Estava bem posicionado e iria para a vitória", disse.

Ontem, foi realizada a etapa, teoricamente, decisiva para o título da volta. Por ser longa, com 215 km entre Ribeirão Preto e Campinas, a prova dava chances a uma reviravolta na classificação, com alguma fuga. Mas a equipe Memorial soube defender bem a posição. Giacinti chegou no pelotão da frente, em 12.º lugar, apenas administrando sua vantagem. Na classificação, ele tem oito segundos sobre o seu compatriota, Matias Médici (Avaí) e 13s sobre o brasileiro Pedro Nicácio (DataRo).

Após outro bom resultado ontem, Giacinti demonstrava felicidade. "As etapas mais longas, mais duras já foram. Só tenho de agradecer meus companheiros da Memorial. Apesar de estarmos começando a competir juntos, o relacionamento está sendo sensacional", finalizou o líder.

Ação social

A Volta de São Paulo deste ano também promoveu campanha de solidariedade a cada chegada de etapa. O público que acompanhou a decisão das etapas pôde doar alimentos a associações carentes de cada sede da competição e, em troca, concorrer a sorteios de bicicletas. Ao todo, foram recebidos mais de 2,5 toneladas de alimentos não perecíveis e, após a etapa final deste domingo, a expectativa é que o número passe das 3 toneladas.

"É uma beleza termos união da cidadania com o esporte. Esperamos que em 2006 possamos ter uma grande integração e atingir altos números, beneficiando a cidade e o esporte", disse a primeira-dama de Ribeirão Preto, Auri Stela Gasparini, na sexta-feira.