O atacante Marquinhos saiu satisfeito do jogo contra a LDU, apesar de sua expulsão: pela primeira vez ele conseguiu ter seu nome gritado pela torcida do Palmeiras, ao sair de campo durante a vitória por 2 a 0, nesta terça-feira, no Palestra Itália. Ele entrou após o intervalo, no lugar do lateral-direito Fabinho Capixaba, e disse que uma conversa com o técnico Vanderlei Luxemburgo o ajudou a ter uma boa atuação.

“Entrei com a cabeça voltada totalmente no jogo e no Palmeiras. Eu tenho potencial e quero vencer aqui no clube. Ainda estou em fase de adaptação, mas sempre pedi apoio e paciência porque tenho consciência do que posso apresentar”, afirmou o jogador, que aprovou sua atuação na nova função. “Procurei fazer aquilo que foi pedido. Avancei quando o time estava com a bola e fechei os espaços quando a LDU atacava.”

Marquinhos cobrou o escanteio para o primeiro gol, marcado por Marcão, e vinha bem na partida até ser expulso, depois de revidar uma agressão doo equatoriano Bolaños. “Não esperava pela expulsão. Foi injusto. Felizmente, a recompensa veio com os gritos da torcida, que compreenderam a situação e minha atuação”, disse o camisa 11, que não poderá enfrentar o Colo Colo, na próxima quarta-feira, jogo que decide o futuro do Palmeiras na Libertadores.

Embora tenha criticado a postura de Marquinhos no lance da expulsão, Vanderlei Luxemburgo elogiou a atuação dele e disse que a torcida deve ter paciência, citando o caso do atacante Lenny, que só caiu nas graças da torcida neste ano, depois de mas atuações em 2008. “O Marquinhos é muito jovem e tem potencial para ser o mesmo atleta que fez sucesso no Vitória. Mas é preciso paciência para a adaptação. É só pegar o exemplo do Lenny. O importante é que a torcida está se identificando com o Marquinhos e vendo nele um atleta que vai crescer”, concluiu o técnico.