Diego Maradona chegou na noite de terça-feira ao Centro de Imprensa da Copa do Mundo, no Rio, confiante em Lionel Messi para que a Argentina tenha sucesso no torneio. O ex-camisa 10 da seleção argentina – campeão do mundo em 1986 – discorda da tese de que seu compatriota esteja passando por um momento ruim e disse que terá uma conversa o craque.

“Que má fase? O menino faz 40 gols e está em uma má fase?”, questionou Maradona. Na última temporada, Messi fez 43 gols pelo Barcelona, mas só ganhou a Supercopa da Espanha e não foi eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa pela primeira vez desde 2009 – ficou em segundo lugar na última edição da Bola de Ouro da Fifa, atrás de Cristiano Ronaldo.

“Na Argentina querem que ele voe, que faça 90 gols. Não vai chegar em má fase. Ele vai fazer um grande Mundial. Vou chamá-lo para conversar, faz tempo que isso não acontece. Quero falar com ele. É um garoto muito bom”, afirmou o ex-atleta, que brincou com os jornalistas dizendo estar em forma para jogar e até levantou a camiseta para mostrar a barriga.

“Eu poderia voltar. Operei os joelhos, estava com 99 Kg e agora estou com 78 Kg, dois a mais de quando joguei em 1986”, disse o também ex-técnico da seleção argentina, que aprova o elenco atual. “Hoje é tempo de Messi. Seria tempo de Tevez, se estivesse aqui. Tempo de Biglia, Maxi (Rodríguez), Mascherano, Gago, dos meninos novos que vão respeitar a nossa história. Mesmo quando perdemos de 4 a 0 da Alemanha, em 2010, sempre lutamos”, lembrou Maradona, treinador da equipe nacional na Copa da África do Sul.

Ele elogiou o técnico atual, Alejandro Sabella, mas lembrou de desafetos. “Sabella sempre fez o melhor para os argentinos. Foi um bom jogador – quando jogava, porque estava sempre machucado -, mostrou isso no Estudiantes. Desejo sorte a ele. Mas não a Grondona e a Bilardo, a eles nunca desejarei sorte a eles”, concluiu Maradona, citando respectivamente o presidente da Associação Argentina de Futebol (AFA) e o secretário de seleções nacionais da entidade, seu treinador no Mundial de 1986.