A goleada por 6 a 0 sobre o Rio Branco, do Acre, que classificou o Cruzeiro para a segunda fase da Copa do Brasil foi comemorada pelo técnico Vágner Mancini, mas sem euforia. Após o triunfo na Arena da Floresta, em Rio Branco, o treinador exaltou a postura e a organização da equipe, mas ressaltou que o time ainda cometeu erros e pode evoluir.

“Não é porque vencemos por seis que não fiz anotações do que temos que melhorar. Mas é normal dar uma acomodada quando está goleando. O futebol é um constante aprendizado. Tivemos um bom aspecto ofensivo, mas erramos muitos passes. A equipe colocou a bola no chão e tocou com inteligência”, afirmou.

Diante do Rio Branco, Mancini escalou o Cruzeiro com três atacantes – Walter, Wallyson e Anselmo Ramon – por conta da ausência do meia Montillo. O treinador avaliou que o novo esquema funcionou bem diante do Rio Branco, mas ressaltou que os meio-campistas ficaram sobrecarregados em alguns instantes.

“Em alguns momentos sofremos no esquema tático por ter três atacantes. Mas, por outro lado, chutamos mais, ficamos mais com a bola no ataque. O ponto forte é que fomos sérios, determinados. Cumpriram à risca o que pedimos. O esquema poderia ser ofensivo ou dar chances ao rival. Mas saio satisfeito pelo desempenho”, disse.

Para Mancini, o Cruzeiro poderia ter conquistado uma goleada ainda mais dilatado. “Foi um bom início, mas, no começo do jogo, tivemos dificuldades. Tínhamos que encaixar a marcação. No segundo tempo tivemos bom volume de jogo e poderíamos chegar a sete ou oito gols”.

Classificado, o Cruzeiro vai enfrentar na segunda fase da Copa do Brasil o vencedor do confronto entre Chapecoense, de Santa Catarina, e São Mateus, do Espírito Santo. Pelo Campeonato Mineiro, a equipe volta a jogar no domingo, em casa, contra o Villa Nova.