O dia D para que as obras de adequação da Arena da Baixada ao caderno de encargos da Fifa saiam do papel é hoje. Em reunião extraordinária do conselho deliberativo do Atlético, existe a promessa de serem apresentados os projetos que finalmente irão viabilizar financeiramente a Copa do Mundo 2014 em Curitiba.

Duas serão as frentes esperadas para o encontro entre os conselheiros. Uma delas é composta pela atual diretoria do Atlético, em processo liderado pelo presidente Marcos Malucelli, o presidente do conselho deliberativo Gláucio Geara e o vice-presidente Enio Fornêa. Por outro lado, o ex-presidente do Furacão, Mário Celso Petraglia, também é aguardado para a reunião.

Os lados opostos mantiveram o sigilo para falar de suas propostas. Apenas o secretário de governo para assuntos da Copa do Mundo 2014, Mário Celso Cunha, pontuou sobre o assunto.

“Entendo que estamos avançando bastante, superando os 70% do planejamento e possivelmente até o final de semana ou começo da outra (o acordo que vai viabilizar as obras na Arena) será fechado”, disse.

O secretário da Copa não entrou em detalhes, mas sinalizou que o acordo ao qual se refere é o que Atlético, governo e município negociaram com a construtora OAS.

A grande expectativa de posição da atual diretoria rubro-negra para a noite de hoje é a apresentação aos conselheiros da modelagem proposta entre as três partes para a adequação da Arena da Baixada, com data de início e fim das obras, contrapartidas com a fabricante e pelo menos um esboço de valores.

Já a proposta a ser apresentada pelo ex-presidente do Atlético, Mário Celso Petraglia, foi debatida na noite de ontem, em reunião fechada em um hotel no centro de Curitiba.

Assim como a atual diretoria, o ex-dirigente do Furacão manteve o silêncio. Também é aguardada uma vigília de torcedores em frente ao estádio rubro-negro.

Diante dos projetos apresentados, caberá aos integrantes do conselho deliberativo do Atlético definir os rumos das obras da Arena da Baixada. O objetivo da comissão paranaense de organização da Copa 2014 é que as obras estejam prontas até o final de 2012, para que Curitiba continue sonhando em receber também a Copa das Confederações 2013.