A Conmebol anunciou nesta segunda-feira a decisão de seu tribunal disciplinar sobre os incidentes ocorridos no confronto entre Huachipato e Grêmio, realizado no último dia 18, no Chile, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores. Principal personagem da confusão após o apito final do árbitro, o técnico Vanderlei Luxemburgo foi punido com seis partidas de suspensão.

Após a partida, os jogadores do Huachipato foram para cima de Luxemburgo, que, segundo eles, teria provocado a equipe chilena. Os atletas e integrantes da comissão técnica do Grêmio, no entanto, afirmam que foram os adversários que iniciaram a confusão. O fato é que o técnico gremista só voltará a dirigir a equipe nesta Libertadores se ela chegar à final. Ele ainda foi multado em US$ 25 mil (cerca de R$ 50 mil).

Luxemburgo, no entanto, não foi o único representante gremista punido pela entidade e uma outra suspensão pode afetar a equipe dentro de campo. O zagueiro reserva Douglas Grolli pegou cinco partidas de gancho e será mais uma ausência na já desfalcada defesa gremista, que não conta com os lesionados Werley e Saimon. Auxiliar técnico de Luxemburgo, Emerson levou a suspensão mais dura, de oito jogos, e não sentará mais no banco de reservas nesta Libertadores.

Pelo lado do Huachipato foram cinco os suspensos, incluindo o técnico Jorge Pellicer, que pegou gancho de um jogo. Também por uma partida foi suspenso o preparador físico Marcelo Rosemblat, enquanto os jogadores Arrué e Núñez, pegaram três jogos. A mais dura punição pelo lado chileno ficou com o jogador Espinoza, que levou gancho de cinco partidas.