Luis Figo confirmou que se tornou o mais novo adversário de Joseph Blatter na próxima eleição da Fifa, que acontecerá em 29 de maio. Um dos maiores jogadores da história da seleção portuguesa, o ex-meia do Barcelona e do Real Madrid revelou sua candidatura na tentativa de tirar o suíço do cargo em entrevista para o canal de notícias CNN, nesta quarta-feira.

O astro português disse também possuir o apoio de pelo menos cinco das 209 federações filiadas à Fifa, requisito obrigatório para poder entrar na eleição da entidade. E ele revelou a sua intenção de assumir a entidade depois de o presidente da Federação Holandesa de Futebol, Michael van Praag, ter oficializado na última segunda-feira sua candidatura à presidência do organismo.

Figo e Van Praag, porém, não revelaram quais são as federações que manifestaram apoio às suas respectivas candidaturas na eleição. O português, por sinal, se tornou mais um concorrente de Blatter após o dirigente suíço ter desafiado a Uefa a ter representantes no pleito no qual lutará pelo seu quinto mandato à frente da Fifa. Na ocasião, Blatter disse que a Uefa liderava a oposição contra ele, mas “não tinha coragem para enfrentá-lo”.

E Figo deixa claro que está insatisfeito com a reputação atual da Fifa, que tem seu nome e alguns dos seus representantes envolvidos em uma série de escândalos de corrupção nos últimos anos. “Eu me importo com o futebol, então estou vendo a imagem da Fifa não só agora, mas nos últimos anos, e não gosto disso. Se você procurar ‘Fifa’ na internet, a primeira palavra que aparece é ‘escândalo’. Não são palavras positivas. É isso que temos que mudar primeiramente, tentar melhorar essa imagem”, ressaltou o ex-jogador.

Ao justificar a sua candidatura, Figo também enfatizou: “O futebol me deu muito durante a minha vida e quero dar algo de volta ao jogo”.

O prazo final para oficialização de candidaturas irá se expirar nesta quinta-feira, sendo que, além de Figo e Praag, o príncipe Ali bin al-Hussein, da Jordânia, um dos vice-presidentes da Fifa; o ex-jogador francês David Ginola e o também francês Jérôme Champagne, ex-vice-secretário geral da entidade, revelaram o desejo de disputar a eleição que ocorrerá em maio.

Mais novo candidato, Figo foi embaixador da Uefa para a final da última Liga dos Campeões, realizada no ano passado em Lisboa, onde o Real Madrid bateu o Atlético de Madrid para ficar com o seu décimo título da competição.

Com apenas 42 anos de idade, o ex-jogador português tentará desafiar o amplo favoritismo de Blatter, que continua na frente para seguir na presidência mesmo com os consecutivos escândalos enfrentados pela entidade que ele comanda.

Eleito o melhor jogador do mundo pela própria Fifa em 2000, Figo foi vice-campeão da Eurocopa de 2004 e quarto colocado na Copa do Mundo de 2006 pela seleção portuguesa, pela qual ainda ostenta o recorde de 127 partidas disputadas. Já na carreira de clubes, ele também defendeu o Sporting e a Inter de Milão, na qual encerrou a sua carreira em 2009.