Atleta mais vitoriosa do esqui alpino, a norte-americana Lindsey Vonn, que sofre com dores nos joelhos, anunciou nesta sexta-feira que vai se aposentar após o Mundial, que começa a ser disputado na próxima terça, na cidade de Are, na Suécia.

A competidora com mais títulos da Copa do Mundo – venceu quatro vezes a competição em 2008, 2009, 2010 e 2012 – antecipou sua aposentadoria. Ela planejava parar no final deste ano, mas mudou de ideia por conta das persistentes dores nos dois joelhos, que começaram a incomodá-la depois de uma competição em Cortina d’Ampezzo, Itália.

“Foram duas semanas emotivas para tomar a decisão mais difícil da minha vida, mas eu aceitei que não posso continuar”, escreveu Vonn em seu perfil no Instagram. “Eu vou competir no Campeonato Mundial no Downhill e no SG (Super-G) na próxima semana em Are, na Suécia, e estas serão as últimas corridas da minha carreira”, completou. O Mundial será aberto com a competição feminina na modalidade Super-G, na próxima terça-feira. O Downhill será disputado a partir do dia 10.

O joelho direito de Vonn está permanentemente danificado por lesões anteriores. Ao longo de sua trajetória, a atleta norte-americana também rompeu o ligamento anterior cruzado, sofreu fraturas perto do joelho esquerdo, fraturou o tornozelo, cortou o polegar direito e teve uma concussão. Sua limitação física a impede de competir em mais de três eventos por dias. “Meu corpo está gritando comigo para parar e é hora de eu escutar”, disse Vonn.

A Suécia traz boas recordações à esquiadora, que ganhou as suas duas primeiras medalhas da carreira – duas pratas – no Mundial de 2007 em Are, justamente onde ela voltará a competir na próxima semana. Vonn tem 12 pódios no total. Na última temporada da Copa do Mundo em Are, Vonn venceu no Downhill e terminou em terceiro no Super-G.

Vonn é uma das seis mulheres que conseguiram vencer provas da Copa do Mundo em todas as cinco categorias do esqui alpino: Downhill, Super-G, Slalom Gigante, Slalom e Combinado. Com um total de 82 vitórias em etapas da Copa do Mundo em toda a sua carreira, se tornou a recordista, superando Annemarie Moser-Pröll, da Áustria, que conseguiu 62 triunfos. No entanto, Vonn não será capaz de igualar a marca de 86 triunfos do sueco Ingemar Stenmark.

“Honestamente, me aposentar não é o que me perturba. Aposentar-me sem atingir meu objetivo é o que vai ficar comigo para sempre”, lamentou Vonn. “No entanto, eu posso olhar para trás e ver 82 vitórias na Copa do Mundo, 20 títulos da Copa do Mundo, três medalhas olímpicas, sete medalhas em Mundiais e dizer que eu realizei algo que nenhuma outra mulher na história já fez, e isso é algo de que eu vou ter orgulho para sempre”, comemorou.