O ala Leandrinho, atual campeão da NBA pelo Golden State Warriors, disse nesta quarta-feira que sonha em conquistar uma medalha pelo Brasil na Olimpíada do próximo ano, no Rio. E, para isso, demonstrou-se motivado a participar de uma eventual disputa pré-olímpica pela seleção, uma vez que o Brasil corre o risco de perder a vaga direta de país-sede em virtude de um débito que a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) possui com a Federação Internacional de Basquete (Fiba).

A Fiba cobra uma dívida de US$ 700 mil (cerca de R$ 2,17 milhões) referentes ao “convite” dado à seleção para disputar o Mundial do ano passado – o Brasil não havia conseguido classificação na quadra. Caso o pagamento não seja acertado até o fim de julho, a entidade internacional ameaça cassar a vaga direta do País para a Olimpíada, tanto no masculino quanto no feminino.

“É difícil você ter o privilégio de participar de uma Olimpíada dentro de seu próprio país, assim como foi a Copa do Mundo. Estamos aqui para o que der e vier. Se tiver que classificar, vamos classificar e queremos uma medalha. Vontade não falta”, afirmou o jogador em entrevista coletiva concedida no fim da manhã, em Ipanema, na zona sul do Rio.

O jogador ressaltou, porém, que não foi comunicado sobre a eventual necessidade de disputar o torneio classificatório. “Acabei de chegar (dos Estados Unidos). Estou sabendo agora o que está acontecendo, mas estou à disposição independentemente do que acontecer. Espero que o melhor aconteça, vamos ter uma Olimpíada dentro de casa e todos nós vamos querer estar presentes.” Segundo Leandrinho, “a seleção me trouxe muitas coisas boas” e é “um sonho conseguir uma medalha dentro de casa”.

NBA – Segundo brasileiro da história a conquistar um título da NBA, Leandrinho declarou que espera continuar no Golden State Warriors na próxima temporada, mas lembrou que isso dependerá de negociações que envolvam também outros atletas. A liga norte-americana de basquete trabalha com limite de teto salarial e, com a conquista, o grupo foi valorizado.

“Existe interesse nas duas partes. Hoje (quarta) é o dia em começam as negociações entre agentes e general managers”, considerou. “A gente sabe que tem o teto salarial, e algumas trocas vão acontecer para que o teto salarial seja aberto para que alguns jogadores assinem. Mas quem está tomando conta disso são meus agentes. Agora estou de férias e estou curtindo esse momento especial na minha vida.”

Para Leandrinho, repetir o feito da última temporada será uma tarefa difícil. “Não vou falar que é impossível, mas a gente sabe que é a melhor liga do mundo. Não existe título fácil”, ponderou o ala. “Tem que ver a possibilidade de o time manter os jogadores todos. Tem muita coisa que vai acontecer. Eu acredito que isso seja difícil pelo teto salarial. É difícil fazer dois títulos seguidos.”

Apesar de afirmar que pretende seguir na equipe, o ala revelou ainda que recebeu propostas de outros clubes. “Existem, sim, outras propostas. Fiz uma grande campanha nos playoffs, fui para lá (Warriors) pelos playoffs e bateu (campeão). Agora é esperar.”

O jogador deverá passar a semana no Rio devido a compromissos com patrocinadores, mas pretende viajar para descansar nos próximos dias. “Estou muito feliz, foi uma conquista muito importante. Foram 12 anos correndo atrás disso e graças a Deus tive a felicidade de conseguir. Lutei muito na minha vida atrás desse título, não só eu, como minha família.”