Duas semanas depois de Valdivia e sua mulher passarem por um sequestro-relâmpago, o Palmeiras voltou a ser caso de polícia hoje.

O meia Daniel Carvalho teve roubado um relógio avaliado em US$ 8.000 (cerca de R$ 16.000) enquanto ia para casa antes do treino de hoje à tarde tarde, o último antes da partida contra o Grêmio, pela semifinal da Copa do Brasil. Inicialmente, a assessoria do Palmeiras havia informado que o roubo aconteceu quando o atleta ia para o treino.

O jogador disse que estava em seu carro, parado em um semáforo, quando foi abordado por dois motoqueiros armados na Avenida Francisco Mattarazzo, zona oeste de São Paulo, próximo ao CT do Palmeiras.

Apesar do susto, Daniel Carvalho participou normalmente do treino. O camisa 19 deve ser titular no segundo jogo da disputa por vaga na final da Copa do Brasil.

Por ter vencido em Porto Alegre por 2 a 0, o Palmeiras fica com a classificação até se perder por um gol de diferença.

Este é o segundo caso de violência urbana que um jogador do Palmeiras sofre neste mês. No último dia 7, Valdivia e a mulher foram vítimas de um sequestro-relâmpago também na zona oeste da capital. Ambos ficaram três horas nas mãos do homem, que acabou sendo preso dias depois. O meia chileno cogita deixar o Palmeiras e a cidade por conta da violência.