A 11.ª edição dos Jogos dos Povos Indígenas começou no último sábado, em Porto Nacional (TO), com a participação de pelo menos 35 etnias brasileiras. O evento ocorre até o próximo sábado.

A cerimônia de abertura teve a presença de 1,4 mil indígenas, com cerca de 8 mil pessoas prestigiando o evento, na Ilha de Porto Real, na cidade sede dos jogos. Três etnias realizaram apresentação de cantos e danças na presença do ministro de Esportes, Aldo Rebelo, e da ministra da Igualdade Racial, Luíza Helena de Barros. O tema da apresentação foi uma homenagem ao cerrado e ao rio Araguaia.

Do Estado sede, Tocantins, são 230 atletas de seis etnias, segundo a Secretaria da Cultura. São elas: Apinajé, de Tocantinópolis; Krahô, de Itacajá; Xerente, de Tocantínia; Karajá, da Ilha do Bananal; Javaé, de Formoso do Araguaia; e outra Karajá, de Xambioá. Um aldeia foi montada na ilha, com 32 ocas para receber os atletas, dirigentes e imprensa. A área foi apelidada de “Aldeia Olímpica Indígena”.

São 10 provas valendo medalhas no evento: futebol masculino, futebol feminino, arco e flecha, canoagem, arremesso de lanças, cabo de força (cabo de guerra), corrida de tora, corridas de 100 m, revezamento 4×100 m, corrida de 5 mil m e natação em águas abertas.