Devolver a derrota da fase inicial do Campeonato Paranaense (por 2 a 1) e continuar vivo na disputa pelo bicampeonato estadual. Esse é o pensamento do grupo rubro-negro para o confronto de hoje à noite contra o Operário de Ponta Grossa. Para os jogadores, não há como comparar o desafio de logo mais com o jogo da 1.ª fase, já que o Atlético evoluiu muito na opinião deles.

“É um jogo completamente diferente daquele. Já temos a ideia de como eles jogam. Mas o que passou, passou. Precisamos agora ter um cuidado maior do que no primeiro jogo para vencermos”, avaliou o goleiro Neto, que integra a defesa menos vazada da competição.

Para Alan Bahia, o momento realmente é outro, porém o adversário já demonstrou ter qualidade ao vencer o Furacão anteriormente. “Estávamos iniciando um trabalho (período de pré-temporada) é verdade. Mas não podemos tirar o mérito deles, que jogaram bem e conseguiram a vitória. Então temos que entrar ligados para não sermos surpreendidos”, analisou.

Uma semelhança das duas partidas está na formatação tática. Em janeiro, Antônio Lopes utilizou o sistema 3-5-2, o mesmo que será adotado agora por Leandro Niehues.

O goleiro (Neto), a zaga (Rhodolfo, Manoel e Chico) e os laterais (Raul e Márcio Azevedo) também foram titulares na partida válida pela 1.ª fase. O jogo, com sabor de revanche, vale a liderança do campeonato para o Atlético.