O técnico Alex Ferguson atribuiu a eliminação do Manchester United nas quartas de final da Liga dos Campeões, nesta quarta-feira, à expulsão do lateral brasileiro Rafael. O time inglês venceu o Bayern de Munique, em casa, por 3 a 2, mas ficou de fora por causa da derrota por 2 a 1 no jogo de ida.

Nesta quarta, o Manchester chegou a abrir 3 a 0 no placar no primeiro tempo. Mas, antes do intervalo, levou um gol. E, no início da segunda etapa, ficou com um jogador a menos em campo. Rafael fez falta em Ribéry e recebeu o segundo cartão amarelo, que foi seguido do vermelho.

“O cartão vermelho foi a chave do jogo, sem dúvida. Eles nunca conseguiriam a classificação se nós estivéssemos com 11 jogadores em campo. Com 11, não teríamos tido qualquer problema”, afirmou Ferguson, que evitou culpar o brasileiro pelo revés.

“É um jogador jovem, um pouco inexperiente”, comentou o treinador, que preferiu reclamar da pressão do time alemão, após a falta em Ribéry. “Eles conseguiram a expulsão dele. Os jogadores [do Bayern] cercaram o árbitro, típico dos alemães. Você não tem como disputar com isso, eles são assim mesmo”, criticou.

Com a vantagem numérica, o Bayern cresceu no jogo e chegou ao segundo gol, após forte pressão no Old Trafford. Robben marcou o gol decisivo ao completar, de primeira, um escanteio da esquerda.

“Nosso problema é que eles tinham um jogador a mais e conseguiam fazer a bola rolar. Mas acho que nos defendemos muito bem. Nosso desempenho hoje foi excelente. Foi uma grande performance. Mas tivemos muita falta de sorte. Eles conseguiram um gol excepcional no final. Foi um grande chute de Robben”, elogiou Ferguson.