Em jogos que foram interrompidos pela chuva por duas vezes e só puderam ser encerrados na quadra com teto retrátil em Wimbledon, Roger Federer e Andy Murray confirmaram favoritismo com tranquilidade nesta quarta-feira e avançaram às semifinais do Grand Slam realizado em Londres, onde irão batalhar por uma vaga na decisão.

O suíço passou pelo francês Gilles Simon por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 7/5 e 6/2, enquanto o britânico eliminou o canadense Vasek Pospisil, também por 3 a 0, com 6/4, 7/5 e 6/4. Assim, os dois tenistas irão travar um esperado confronto nesta sexta-feira, “desenhado” para acontecer desde o sorteio das chaves da competição.

Essa será a 23ª vez que os dois se enfrentam, sendo que Federer tem mínima vantagem de 12 vitórias e 11 derrotas no retrospecto. Na única vez que os dois mediram forças em Wimbledon, o suíço levou a melhor na final de 2012, frustrando o público local. No mesmo ano, porém, o britânico deu o troco na decisão do ouro do tênis masculino dos Jogos Olímpicos de Londres.

Sete vezes campeão da mais tradicional competição do tênis mundial, Federer jogará pela décima vez uma semifinal no All England Club, sendo que ele nunca foi derrotado neste estágio do torneio. Já Murray tentará voltar a se credenciar para jogar uma decisão depois de ter ficado com o título em 2013 e sido surpreendido pelo búlgaro Grigor Dimitrov nas quartas de final no ano passado.

Primeiro a sair vencedor de quadra nesta quarta, Federer, atual vice-campeão, exibiu a sua habitual eficiência jogando na grama inglesa. Já no primeiro set, sem oferecer nenhuma chance de quebra de saque ao rival, converteu um de dois break points para depois abrir a vantagem inicial de 6/3.

No segundo set, Federer teve o seu saque quebrado pela primeira vez nesta edição de Wimbledon, fato que demonstra sua força no torneio, e compensou a quebra convertendo os dois break points cedidos por Simon para fazer 7/5 e abrir 2 a 0. Já na terceira parcial, ainda mais dominante, o suíço contabilizou mais duas quebras em duas oportunidades e, absoluto com o serviço na mão, fechou o jogo em 6/2.

AOS OLHOS DA REALEZA – Murray, por sua vez, foi dominante para seguir em frente em Wimbledon. Ao olhos do príncipe William e da princesa Kate, que estavam no Royal Box de Wimbledon também ao lado do príncipe Albert, de Mônaco, o escocês não teve o seu saque quebrado por nenhuma vez e encaminhou o seu triunfo em sets diretos.

Murray converteu três de oito break points e cedeu uma única chance de quebra ao rival quando sacava em 5/4 para fechar o jogo. Porém, ele salvou a ameaça com um ace e depois partiu para a vitória que o levou à semifinal. O britânico ainda ganhou 84% dos pontos que disputou quando encaixou o seu primeiro serviço, assim como cometeu apenas 13 erros não forçados, contra 23 de seu rival.