Equipe do Atlético Clube Paranavaí, campeão paranaense de 2007. Empate na Vila Capanema garantiu o título inédito. Foto: Tribuna do Paraná.

O Estado do Paraná tem uma nova capital da bola. Ontem à tarde, o Atlético Clube Paranavaí segurou um empate de 0 a 0 com o Paraná Clube, na Vila Capanema, e sagrou-se campeão paranaense de 2007. Uma campanha histórica, sem nenhuma derrota para as equipes de Curitiba.

Nunca um clube do interior havia conquistado tal façanha. Antes do Vermelhinho, cinco times já tinham conseguido ficar com o troféu, em disputa direta com os times da capital. Mas com pelo menos uma derrota para os rivais de Curitiba. Desta vez não teve para ninguém. Atlético, Coritiba e Paraná não conseguiram um triunfo sequer contra a equipe do noroeste.

O 1.º título da história do ACP foi conquistado após 90 minutos de muito sofrimento. Como o Vermelhinho havia vencido a partida de ida da decisão por 1 a 0, o Tricolor só ficaria com o título se acabasse com a invencibilidade dos visitantes. E com a Vila completamente lotada, partiu para cima desde o apito inicial.

Léo Mattos, Josiel e Gérson chegaram com perigo à meta defendida por Vanderlei. Parecia que o gol paranista era questão de tempo. Mas o Paranavaí atuou o tempo todo com o regulamento embaixo do braço. E foi quase perfeito em sua proposta de jogo.

Marcando forte e congestionando o meio-campo, o Vermelhinho aguardava os erros do Paraná para sair no contra-ataque. No 1.º tempo, só uma boa chance. Edenílson partiu livre pela direita e bateu cruzado, rasteiro. A bola passou raspando a meta defendida por Flávio.

Todos esperavam um Tricolor ainda mais ofensivo na segunda etapa. E foi justamente aí que o técnico Amauri Knevitz tentou surpreender, mandando o Vermelhinho para frente. Tiago quase marcou logo aos 20 segundos. Edenílson teve outra chance aos 10 minutos.

Mas o ACP não conseguiu marcar e o Paraná voltou a tomar conta da partida. Daí, foi a vez do goleiro Vanderlei aparecer. O arqueiro, que já havia sido destaque contra o Coritiba, nas semifinais, voltou a brilhar, para desespero da torcida tricolor.

Vinícius Pacheco, Lima e Josiel, por duas vezes, tiveram a chance de marcar o gol que levaria a disputa para os pênaltis. Mas Vanderlei fechou a meta, garantindo a alegria vermelha no Durival Britto.

E, por pouco, o Paranavaí não conquista a vitória. Aos 44, Flávio teve que se esticar todo para defender uma bomba de Márcio.

Ao apito final de Roman, a Vila praticamente emudecida assistiu a uma festa que não ocorria há 30 anos. Em 1977, o Grêmio Maringá havia sido a última equipe do interior a dar a volta olímpica na capital, ao bater o Coritiba. Desta vez, o dono da festa foi o Paranavaí, o novo, e incontestável, campeão paranaense de futebol.

Conquista sem derrotas pro trio de ferro

O Paranavaí escreveu no Estadual 2007 um capítulo único na história do futebol no Estado. Na disputa direta contra os times de Curitiba, nunca um time do interior havia chegado ao título sem uma derrota sequer para os clubes da capital.

A 1.ª vez que o troféu saiu de terras curitibanas foi em 1955. O surpreendente Clube Atlético Monte Alegre vestiu a faixa de campeão ao bater o Ferroviário na decisão. Mas, ao longo da disputa, o Cama sofreu 4 derrotas na capital. Entre 1960 e 65, o Estadual foi dividido entre as regiões norte e sul. Comercial, de Cornélio Procópio, Londrina e Grêmio Maringá conquistaram o título neste período, mas as campanhas foram construídas todas no interior. A disputa com a capital ficou restrita a 2 jogos na decisão.

Em 77, com a disputa novamente unificada, o Grêmio Maringá voltou a levantar a taça. A campanha do Galo contra os curitibanos foi quase perfeita. Só perdeu uma, por 2 a 1, para o Coritiba, no 2.º turno do quadrangular semifinal.

Em 80, o Cascavel dividiu o título com o Colorado. Teve 6 derrotas diante dos clubes da capital. No ano seguinte, o Londrina foi o campeão, mas perdeu 3 vezes em Curitiba. O Tubarão levou o título mais uma vez, em 92, com uma campanha que registrou derrotas para Paraná e Atlético. Em 2002, a disputa sofreu nova mudança. Jogando apenas contra rivais do interior, o Iraty foi proclamado campeão Estadual. Depois, enfrentou a capital no ?supercampenato? e não teve sucesso. O título ficou com o Atlético.

Este ano, o Paranavaí ficou invicto nos confrontos com a capital. Contra o Atlético, conquistou duas vitórias e um empate. Repetiu o desempenho diante do Paraná. E contra o Coritiba, conseguiu dois empates e um triunfo. Trajetória para ninguém botar defeito.

CAMPEONATO PARANAENSE 2007
final ­ jogo de volta
Árbitro: Evandro Rogério Roman
Assistentes: Roberto Braatz e Rogério Carlos Rolim
Cartões amarelos: Daniel Marques, Neguete, Beto (Paraná), Rodrigo Delazari, Robenval, Márcio, Tales, Adriano (ACP).
Local: Vila Capanema, em Curitiba (PR)
Público: 17.214
Renda: R$ 388.010,00.

PARANÁ 0 x 0 PARANAVAÍ

Paraná
Flávio; Léo Mattos, Daniel Marques, Neguete e Egídio (Everton ­ 22? 2.º); Xaves (Lima ­ 13? 2.º), Beto, Gerson e Dinelson (Joelson ­ 31? 2.º); Josiel e Vinícius Pacheco. Técnico: Zetti.

Paranavaí ­
Vanderlei; Rodrigo Delazari, Diego Correa e Robenval; Gilberto Flores, Marcio, Tales, Agnaldo (Rafael Pulga ­ 46? 2.º) e Roque (Adriano ­ 39? 2.º); Tiago e Edenilson (Léo Santos ­ 33? 2.º). Técnico: Ademar Knevitz.