A proposta do Manchester City pelo brasileiro Kaká causou indignação ao dono do Fulham, o egípcio Mohamed Al-Fayed. Neste domingo (18), o empresário disse que os 110 milhões de euros (cerca de R$ 343 mi) que o clube do atacante Robinho pretende pagar para ter o meia do Milan é uma “loucura”. Para Al-Fayed, inclusive, deveriam haver limites para os valores de transferências e salários.

“É loucura. Se você tem um jogador fantástico, como faz com o resto do time, os jogadores em volta dele? É loteria fazer as coisas assim”, disse o dono do Fulham. “Isso tudo ainda está nas mãos da Premier League (Liga Inglesa) e da FA (Federação Inglesa). Eles têm o poder de não permitir coisas como esta, e espero que eles acordem e percebam que não é aceitável.”

Al-Fayed comprou o Fulham quando o time ainda estava na terceira divisão inglesa, em 1997. Hoje, vê sua equipe ocupar o posto de coadjuvante no Campeonato Inglês, ocupando a 10.ª colocação, distante 21 pontos do líder do Manchester United, uma posição à frente do próprio Manchester City.

Se a transferência de Kaká para o City se confirmar pelo valor estimado, irá superar de longe a contratação de Robinho, que chegou a Manchester por 37,7 milhões de euros, e se tornou a negociação mais cara do futebol inglês. Além disso, também se tornaria a transferência mais alta da história do esporte, superando a do francês Zinedine Zidane, em 2001, quando deixou a Juventus para integrar o Real Madrid, por 78 milhões de euros.