“Éramos bons nisso, estamos ficando de novo”. A frase do treinador Muricy Ramalho sobre a eficácia do São Paulo na época de mercado de transferências mostra a empolgação da comissão técnica com o trabalho feito na surdina pela diretoria para reforçar o elenco. Até aqui, a blindagem montada para evitar o vazamento de informações tem funcionado.

Até aqui o São Paulo já contratou o lateral-esquerdo Carlinhos (ex-Fluminense) – cuja negociação só virou de conhecimento público após a assinatura de contrato – e o volante Wesley, do Palmeiras, esta que vinha se arrastando desde o primeiro semestre. As demais posições são guardadas a sete chaves e apenas o vice de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, e o gerente executivo, Gustavo Vieira de Oliveira, tratam das conversas.

É Ataíde Gil Guerreiro quem centraliza as ações e Gustavo Vieira de Oliveira atua como emissário; é dele a função de negociar com empresários, jogadores e clubes. O gerente recebeu inúmeros elogios pela forma discreta como trabalhou no ano passado e foi fundamental para a remontagem do grupo. “Estamos conversando com alguns jogadores e eu não posso falar quem são, mas estou bastante otimista com esse mercado”, afirmou Ataíde.

Em 2015, o São Paulo jogará quatro competições: Campeonato Paulista, Copa Libertadores, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil (entra apenas na fase de oitavas de final). A estreia na temporada será no dia 1.º de fevereiro, pelo Paulistão, contra o Penapolense, em Penápolis.

Na competição continental, o clube do Morumbi já conhece dois de seus três adversários no Grupo 2. Um é o atual campeão San Lorenzo, da Argentina. O outro é o Danubio, do Uruguai. O terceiro rival pode ser o Corinthians, que disputará a fase preliminar contra um representante da Colômbia ainda não definido.