Lopes: se não fosse assim,
buscaríamos os pontos no campo.

Semana passada, seis pontos voaram para longe do Coritiba em uma decisão do STJD. Na quinta, como os pássaros que procuram o verão, voltaram gloriosamente. E foi com os seis pontos, e uma nova motivação, que a delegação alviverde seguiu ontem para Campinas, local do jogo de amanhã, às 16h, contra a Ponte Preta, no Estádio Moisés Lucarelli.

Era nítida a mudança de ânimo no elenco. O técnico Antônio Lopes, que chegara a dizer que “não contava mais com os pontos”, estava mais tranqüilo. “É claro que a recuperação dos seis pontos é favorável, todos estamos contentes. Mas eu tenho certeza que nós recuperaríamos essa pontuação perdida dentro de campo”, garantiu o treinador alviverde.

Para Lopes, o grupo já tinha absorvido a situação. “Eu já tinha percebido que os jogadores estavam recuperados, que entendiam que era uma situação que fugia ao nosso controle e pouco tínhamos para fazer”, comentou. Mas a decisão do STJD caiu como uma luva nos planos do técnico. “Agora nós podemos pensar em vencer a Ponte Preta e recuperar nossa posição entre os primeiros”, admitiu.

Este novo enfoque também diminui a pressão sobre a equipe. “É diferente jogar com zero ponto”, resumiu o capitão Reginaldo Nascimento. “Tanto que na partida contra o São Paulo nós sentimos essa dificuldade, e acabamos nos desesperando”, confessa o zagueiro. “Estamos no meio da tabela, e isso dá maior tranqüilidade. Não precisamos ficar naquela pressão de obrigatoriamente vencer todos os jogos”, completa Antônio Lopes.

Mas, naturalmente, os dois mais aliviados eram o vice-presidente Domingos Moro (que não seguiu a Campinas) e o volante Ataliba, principais personagens da história. O dirigente conquistou uma vitória pessoal sobre os críticos, que não o perdoaram quando ele ofereceu denúncia contra o Atlético. “Estou tranqüilo, porque sou um coritibano que defendeu seu clube”, resumiu.

O meio-campista pode agora esquecer o que viveu nas últimas semanas. “Na verdade, a gente sempre tem que tirar fatos positivos de tudo que acontecer. Por isso, penso que foi importante passar por essa provação, e o negócio é voltar a pensar só no campo e conquistar as vitórias”, resumiu Ataliba, que enfrenta amanhã o clube que o revelou.

Contratações, o assunto que volta

Passada a tormenta judicial, o Coritiba volta a pensar em contratações. A diretoria, embora não admita oficialmente, corre em busca de um centroavante, e um dos “candidatos” é um jogador que já esteve na mira alviverde no passado. Luís Cláudio, ex-jogador do Vasco, seria um dos jogadores da lista do Coxa.

Perguntado sobre o assunto, o vice-presidente Domingos Moro confirmou que o clube está atrás de um atacante. “Realmente estamos, mas por enquanto não há nenhum nome contatado”, disse. Com isso, ele negou também o interesse por Renaldo, ex-centroavante do Paraná, e até mesmo por Kléber, que fez fama no Atlético.

A única chegada confirmada é a do “príncipe” Alexandre Fávaro, que retorna hoje da passagem pela Acadêmica de Coimbra. Ele deve ser reintegrado ao elenco alviverde na próxima semana. Apesar disso, segue o interesse em mais um armador. Tcheco é o nome prioritário, mas não se descarta a vinda do atleticano Adriano – o contrato do Gabiru termina no final de junho.

De saída?

Roberto Brum continua em ?litígio? com o técnico Antônio Lopes, e não mais se nega a possibilidade de um empréstimo. Segundo jornalistas paulistas, o São Caetano estaria interessado no “Senador”, o que poderia facilitar o final do imbróglio. Domingos Moro não confirmou tal interesse, mas disse que o caso será encerrado na próxima semana.