coxa200105.jpg

Marquinhos comemora o gol
que deu a vitória ao Coritiba.

Os estreantes fizeram a diferença. Com gols de Luiz Carlos e Marquinhos, o Coritiba despachou o Engenheiro Beltrão (2×1), iniciando com vitória sua caminhada rumo ao tricampeonato, feito que não alcança há 32 anos. O gramado pesado do Pinheirão -castigado pela chuva e dois jogos – atrapalhou, mas não impediu o triunfo coxa.

A chuva que se fez presente em toda a preliminar deu uma trégua. Mas Coritiba e Engenheiro sentiram os reflexos do mau tempo. O gramado encharcado – com alguns setores visivelmente enlameados – foi um ingrediente significativo no jogo que fechou a rodada dupla de ontem. Some-se a isso o natural cansaço dos atletas, ainda em período de pré-temporada e o resultado foi um jogo tecnicamente ruim em toda a primeira etapa.

O jogo começou com poucos lances de perigo do novo ataque coxa. Do outro lado um estreante – na Série Ouro – bastante cauteloso. Mesmo tendo em campo a base do ano passado, o time de Antônio Lopes não conseguia variar jogadas e os alas pouco apareceram. A rigor, uma chance real apenas, em chute forte de Luiz Carlos, de fora da área, foi neutralizada pelas mãos de Júnior. Já o Engenheiro finalizou quatro vezes, mas sem acertar o alvo.

No intervalo, o treinador coxa tratou de desfazer o 3-5-2, com a entrada de Reginaldo Vital. Melhor organizado, o Coritiba partiu para o "abafa" e encurralou o Beltrão. O resultado surgiu aos 14?, com Luiz Carlos escorando cruzamento de Marquinhos para abrir o placar. Só que a resposta foi imediata. Dois minutos depois, Claudinho levantou na área, Anderson pegou a sobra e soltou a "bomba" para empatar.

Após um período de desequilíbrio, o Cori voltou à carga, sob a batuta de Marquinhos. O meia dominou o meio-campo e as principais jogadas saíram de seus pés. Do outro lado, o Engenheiro vivia de bolas alçadas na área para Toti, um atacante muito alto e que deu trabalho à zaga coxa. Marquinhos tratou então de definir a vitória coxa numa precisa cobrança de falta. Com habilidade, tocou "por fora" da barreira e acertou o canto baixo de Júnior: 2×1.

No fim, a vantagem poderia ser ampliada, não fosse a displicência (ou seria ansiedade) de Marciano e a boa forma de Júnior. Artilheiro da Série C, Marciano ficou cara a cara com Júnior, mas chutou fraco. Depois, o goleiro fez defesa de puro reflexo na finalização de Luiz Carlos. Nada que deixasse o torcedor alviverde decepcionado.

CAMPEONATO PARANAENSE
1.ª FASE – 1a rodada
SÚMULA
Local: Pinheirão (Curitiba).
Árbitro: Carlos Jack Rodrigues Magno.
Assistentes: Rogério Carlos Rolim e Ivan Carlos Bohn.
Gols: Luiz Carlos, aos 14?; Ânderson, aos 16?, Marquinhos, aos 32? do 2.º tempo.
Árbitro: Carlos Jack Magno.
Auxiliares: Rogério Carlos Rolim e Ivan Carlos Bohn.
Cartões amarelos: Vagner, Miranda, Roberto Brum, Marcelo do Ó, Rosimar, e Marcelo Sorocaba.

CORITIBA 2×1 ENGENHEIRO BELTRÃO

CORITIBA
Fernando; Miranda, Flávio e Vágner (Reginaldo Vital); Jucemar, Roberto Brum, Capixaba (Márcio Egídio), Marquinhos e Ricardinho; Negreiros (Marciano) e Luiz Carlos. Técnico: Antônio Lopes.

ENGENHEIRO BELTRÃO
Júnior; Agnaldo, Marcelo do Ó (Buiú) e Anderson; Rener, Hernandes, Rosemar, Claudinho e Cléber; Marcelo Sorocaba e Safira (Toti). Técnico: Zé Humberto.