A novela da saída do meia Davi pode ser concretizada hoje, com uma reunião no Rio de Janeiro entre a diretoria do Vasco da Gama, Avaí, clube que detém parte dos direitos econômicos, e um grupo de empresários, entre eles a parceira do Coritiba, L.A. Sports.

A tendência é que o martelo seja batido e o atleta nem seja mais aproveitado no Alto da Glória apesar de ainda poder entrar em campo mais uma vez pelo Alviverde antes de partir para outra equipe. Por enquanto, a direção coxa aguarda o desenrolar dos acontecimentos e aposta nos substitutos caso perca mesmo o jogador.

“Não tem nada que impeça ele de ficar ou obrigue ele a sair, o Davi é um jogador que contribuiu muito com a gente, mas o futebol é dinâmico”, analisa Ernesto Pedroso Júnior, membro do conselho administrativo (G9).

Segundo ele, o clube não desistiu de contratar em definitivo o atleta. “Se ele quiser, se melhorar o desempenho”, aponta o dirigente. No entanto, o clube já sabe que o Vasco está fazendo um boa proposta para os detentores dos direitos econômicos.

“É natural os empresários buscarem o interesse econômico em cima do jogador”, pondera Pedroso. Por contrato entre as partes, após abrir mão de adquirir os direitos econômicos, o Coritiba passou a concorrer com o mercado e se vê na iminência de perder Davi.

No entanto, o clube aposta nas opções que tem para a posição como Everton Costa, Everton Ribeiro, Geraldo e até mesmo o destro Rafinha, que vem atuando na função antes ocupada pelo meia.