O aguardado encontro entre o presidente Vilson Ribeiro de Andrade e o meio-campista Alex para, entre outros fatores, amenizar o instável clima entre as partes e definir o futuro do jogador ainda não aconteceu. É que o dirigente, em meio a compromissos particulares, corre contra o tempo para definir o nome dos novos profissionais do departamento de futebol – Dado Cavalcanti, ex-Paraná Clube, está apalavrado e será apresentado amanhã, juntamente com o substituto de Felipe Ximenes na superintendência de futebol. No entanto, antes mesmo de lavar a roupa suja, o homem forte do clube já tratou de bancar a permanência do capitão alviverde para a próxima temporada.

‘Esse assunto tá superado, o Alex é do Coritiba. Como é que eu posso brigar com quem é meu ídolo? O Alex é meu ídolo como jogador e pessoa. Tenho um carinho imenso por ele. O Alex é forte, e sempre foi assim. Um menino que tem uma posição a respeito de uma série de assuntos no futebol, não só no Brasil, e eu como presidente tenho um respeito muito grande por ele’, afirmou Vilson Ribeiro de Andrade, em entrevista à rádio Transamérica.

De acordo com o dirigente a reunião que vai selar a permanência do jogador no Alto da Glória ou sua liberação para tomar outros ares só não aconteceu ainda porque as agendas não permitiram. ‘Nós ainda vamos conversar. Lamentavelmente eu estava no Rio (de Janeiro), em uma reunião representando os clubes (brasileiros) e praticamente sempre tenho sido chamado pela CBF para defender os interesses dos clubes das Séries A e B. Amanhã (hoje) estou indo à Brasília a convite dos ministros da justiça e esporte pra falar sobre medidas em relação à violência nos estádios’, comentou. Entre os compromissos, Vilson Ribeiro de Andrade ainda fecha os últimos detalhes antes de oficializar o técnico Dado Cavalcanti. O anúncio do ex-técnico do Paraná Clube – que trará consigo Wilton Bezerra como auxiliar e possivelmente ainda Fred Pozzebom na preparação física – acontece amanhã, às 11h, no Couto Pereira.

O presidente também busca a contratação de um novo superintendente de futebol, cargo atualmente ocupado por Mário André Mazzuco. Alex Brasil, igualmente ex-Paraná Clube, foi especulado, mas o nome do profissional encontrou bastante resistência intramuros e perdeu força dentro do clube. O presidente aproveitou a viagem ao Rio de Janeiro para também conversar com Sandro Lima, ex-vice de futebol do Fluminense, mas não bateu o martelo.

Alex bate o pé

Apesar de o presidente alviverde garantir, o meia Alex não compactua com a ideia de que sua permanência esteja alinhavada. Comedido pelos recentes erros de planejamento da diretoria, o jogador quer ‘colocar os pingos nos is’ antes de, enfim, ouvir a proposta do Palmeiras. ‘Trocar ideia de o porquê tivemos um ano tão desequilibrado e ver o que ele imagina para 2014, por que eu não sei o que o clube imagina. Eu preciso saber, minha carreira está terminando e quero terminar de uma maneira bem bacana’, reafirmou Alex. Ainda sem saber se encabeçará ou não o planejamento do Coritiba para o ano que vem, o jogador deu seu pitaco sobre o novo treinador. ‘Ele fez um belo trabalho no Mogi Mirim. No Paraná a gente acompanhou a distância torcendo para que retornasse, mas devem ter acontecido alguns problemas internos para que o clube não conseguisse o acesso. Mas as informações de gente que conheço que trabalharam com ele, são boas. Todos falam muito bem do Dado, mas oficialmente eu não posso falar dele como treinador do Coritiba porque ninguém passou nada para nós’, conclui.