O Coritiba anunciou na tarde desta quinta-feira (11), em coletiva no Couto Pereira, a efetivação do técnico Pachequinho no comando da equipe para a disputa do Campeonato Brasileiro. O treinador alviverde terá uma missão difícil pela frente. O presidente do Verdão, Rogério Portugal Bacellar não escondeu a empolgação depois de conquistar o título do Campeonato Paranaense, vê o elenco fortalecido para disputar a competição nacional e acredita que o clube tem condições de terminar o torneio entre os primeiros colocados.

“No Brasileiro do ano passado não tínhamos peças de reposição. Em 2015 jogamos sem dinheiro, em 2016 com pouco dinheiro e com poucas condições de contratar e 2017 está um pouco melhor. Nosso elenco tem peças de reposição para lutar entre os primeiros. Não digo que vai acontecer, pode ser que aconteça de não ficar entre os seis primeiros. Mas nós vamos brigar por isso. Temos plenas condições e um elenco farto de craques”, cravou Bacellar.

“A imprensa pode criticar um ou outro jogador, mas veja se Flamengo ou Corinthians tem um Kléber. O Henrique Almeida está voltando, o Galdezani jogando muito, o Anderson voltando a ser o grande jogador que foi. O Wilson no gol pegando tudo. Temos uma defesa com uma estrutura bem feita. São poucos times da primeira divisão que tem e acredito muito na estrutura, no Pachequinho e acho que estaremos sempre entre os primeiros”, prosseguiu ele.

Wilson também garante que o Coxa vai brigar na parte de cima da tabela!

Apesar de o Coritiba ter brigado nos últimos cinco anos na parte inferior da classificação do Brasileirão, sendo, inclusive, quase rebaixado à segunda divisão, o otimismo é grande também do técnico Pachequinho. O treinador alviverde acredita que o Coxa entra forte na competição nacional e pensando na parte de cima da tabela.

“Se perguntar para os outros técnicos que disputam o Brasileiro o discurso é o mesmo: brigar pelos primeiros lugares. Não vejo porque o Coritiba não pensar grande e não querer essa ambição pensando alto. Não vai pensando de brigar embaixo. O título estadual te dá confiança e tranqüilidade principalmente para o início da competição. Na reta final começa a afunilar, a dificuldade aumenta. Não posso prever nada, apenas que vamos brigar jogo a jogo e lutar sempre”, enfatizou o comandante coxa-branca.

Pachequinho, a partir de agora, tem um novo contrato com o Coritiba e deixa a comissão técnica permanente do clube. O presidente do Coxa acredita no sucesso do treinador a partir de agora e citou Corinthians e Flamengo como exemplo, já que os técnicos Fabio Carille e Zé Ricardo, respectivamente, são formados do clube e deram uma boa resposta quando foram efetivados nas equipes principais.

“Temos exemplo no Brasil todo. O Flamengo e o Corinthians apostaram em pratas da casa. Desde o primeiro momento apostei no Pacheco, os atletas adoram o Pacheco e a torcida hoje está do lado dele. A torcida do Coritiba é muito exigente e claro que tem que ter paciência. O trabalho que o Pacheco vem desenvolvendo é árduo, difícil e agora chegam mais quatro ou cinco jogadores para integrar o elenco e que dá tranqüilidade maior quando tiver que fazer alguma substituição. Nosso time está bem competitivo”, avisou o cartola.

Leia mais: STJD acaba com os recursos e confirma título paranaense do Coxa!

Pachequinho confia na atmosfera criada na reta final do Estadual entre equipe, diretoria e torcida para o sucesso do Coritiba no Brasileirão. “Passa muito pela organização, planejamento e atmosfera que vamos construir junto com a torcida, buscando a integração dos torcedores com o clube, de ser um Coritiba forte e buscando as melhores posições no campeonato. O Brasileiro é a única competição que temos esse ano, vamos respirar ele, dar o máximo da nossa parte para que tenhamos um ano muito bom”, concluiu o treinador.