O título do Coritiba de campeão paranaense está confirmado. Na tarde desta quinta-feira (11), o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) extinguiu o processo movido por Paraná Clube e Cascavel, que queriam que as quartas de final fossem realizadas novamente, mas com o chaveamento de acordo com o regulamento. Com a negativa, o Estadual está encerrado, com o título do Coxa garantido.

No julgamento, que nem foi realizado (apenas houve a notificação da decisão), o Tribunal justificou que o processo sofreu “perda de objeto”, uma vez que o Paranaense já teve todos os seus jogos realizados e não haveria tempo e datas para que a segunda fase fosse realizada novamente.

Relembre o caso

O Campeonato Paranaense viveu uma verdadeira confusão no caso Getterson. O atacante do J. Malucelli jogou as três primeiras rodadas do Estadual sem o nome registrado no Boletim Informativo Diário (BID). Com isso, o Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) puniu o clube em um primeiro julgamento com a perda de 16 pontos, mas depois o pleno do TJD-PR absolveu o Jotinha. O caso, então foi parar no STJD, mas apenas depois que já havia acontecido o jogo de ida das quartas de final do Paranaense – inclusive com o J. Malucelli vencendo o Londrina por 3×1.

No julgamento, o Tribunal definiu que o Jota deveria perder os 16 pontos e, consequentemente, estaria eliminado da competição, com o Rio Branco ingressando no G8. Porém, o Leão da Estradinha deveria entrar na oitava colocação, com as outras equipes assumnindo a posição seguinte até o quarto lugar – colocação do J. Malucelli -. Só que para não interferir nos outrs três confrontos, que já tinha acontecido o duelo de ida, o STJD optou por colocar o Rio Branco, oitavo, enfrentando o Londrina, então o quarto.

A decisão infrigiu o artigo 8º do Campeonato Paranaense, que dizia que o primeiro colocado deveria enfrentar o oitavo, o segundo o sétimo, o terceiro o sexto e o quarto o quinto. Foi justamente pelo fato de o regulamento não ter sido cumprido é que fez Paraná e Cascavel entrarem com o recurso.

“Ficamos desapontados, pois o STJD sequer analisou o nosso pedido. Esperávamos que ao menos houvesse o julgamento do caso, mas eles acharam que não havia necessidade. O clube respeita a decisão e o assunto está encerrado. Agora, fica para todos os clubes uma lição que é importante ler os regulamentos”, disse o advogado do Paraná Clube, Alessandro Kishino.

E também enfim está definido que o J. Malucelli está rebaixado, por conta dos 16 pontos perdidos, indo para a segunda divisão junto com o PSTC.

Atletiba

Além do processo de Tricolor e Cascavel, o STJD também julgou processos envolvendo o Atletiba que não aconteceu, no final de fevereiro. Tanto Atlético quanto Coritiba foram punidos com uma multa de R$ 10 mil cada um. A Federação Paranaense de Futebol (FPF) foi multada em R$ 20 mil e o árbitro do clássico, Paulo Roberto Alves, foi suspenso por 30 dias.

Coxa e Furacão, inclusive, nem estavam na pauta do julgamento, mas acabaram sofrendo multa por conta das advertências a todos os envolvidos dos dois lados.