De volta ao Coritiba para ser auxiliar-técnico permanente, Pachequinho garante que não pensou em assumir o comando efetivo do clube. Mesmo com a chegada do treinador Rodrigo Santana, o ídolo alviverde foi quem treinou o time na vitória sobre o Atlético-GO.

“A minha vinda foi bem definida. Eu seria o auxiliar-técnico permanente do clube e na ausência de um técnico eu daria o suporte. Não criei expectativa e a minha intenção sempre foi voltar para ser o auxiliar”, garante Pachequinho.

>> Tabela e classificação do Brasileirão

Rodrigo Santana inicia os trabalhos no Alto da Glória na segunda-feira (2) e comanda o time na próxima rodada, contra o Internacional, no Beira-Rio, no próximo domingo (8).

O ex-atacante é o maior artilheiro da história do Couto Pereira com 48 gols. Como funcionário do clube, ele atuou em diversas funções por entre 2005 e 2017, inclusive treinando o time principal até ser demitido.

“A minha conversa foi bem tranquila com relação à minha função. Eu vim para ser o auxiliar-técnico da casa e se não desse tempo de chegar um treinador a tempo, eu iria comandar o time. Não criei nenhuma expectativa em assumir efetivamente. Eu até falei para o Rodrigo que queria entregar o time com uma vitória para ele ter tranquilidade”, complementou Pachequinho.

+ Mais do Coxa:

+ Wilson espera que Coritiba embale após vitória sobre o Atlético-GO
+ As notas de Coritiba x Atlético-GO
+ Melhor que Mano e Roger e discípulo de Carille. Conheça Rodrigo Santana, técnico do Coritiba


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?