Com apenas 21 gols marcados, o ataque vem sendo o ponto fraco do Coritiba no Campeonato Brasileiro. O setor ofensivo do Coxa só é melhor que de Atlético-GO (17) e Avaí (12), os dois últimos colocados na tabela. Um desempenho que acaba se refletindo na campanha do time no Brasileirão, onde ocupa apenas a 14ª posição, a três pontos da zona de rebaixamento, mas a quatro do G6.

Porém, o técnico Marcelo Oliveira terá dois retornos importante para o duelo contra o Vitória, marcado para a próxima segunda-feira (28), às 20h, no Couto Pereira. Os atacantes Kléber e Rildo voltam de suspensão e podem até ser titulares diante dos baianos. Dois dos principais atletas lá da frente.

Ambos marcaram, até aqui, quatro gols cada um – o artilheiro do Verdão no Brasileirão é Henrique Almeida, com cinco -, sendo que o Gladiador atuou em apenas dez partidas e está liberado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), após cumprir 11 jogos de punição.

Voltas importantes e que aumentam as opções do treinador daqui para frente. No total, Marcelo Oliveira tem nada menos do que dez atacantes no elenco, sendo cinco de velocidade e cinco centroavantes.

Alecsandro e Rildo foi a dupla mais utilizada por Marcelo Oliveira. Foto: Marcelo Andrade
Alecsandro e Rildo foi a dupla mais utilizada por Marcelo Oliveira. Foto: Marcelo Andrade

Variedade

Pelos lados do campo, atualmente Rildo é o titular, ficando de fora do empate com o Santos apenas por ter recebido o terceiro cartão amarelo. Além dele, Iago Dias, Neto Berola, Filigrana e Getterson disputam uma posição. Este último, está voltando agora aos treinamentos e por isso foi pouco aproveitado até aqui, tendo disputado apenas dois jogos, logo no início do Brasileirão.

Já como homem de referência, Kléber é o titular absoluto e volta ao time ao natural. Porém, Alecsandro, Henrique Almeida, Keirrison e Léo Santos também querem uma vaga. Alecgol é quem vinha jogando na ausência do Gladiador, enquanto Henrique Almeida perdeu espaço, justamente por ter a mesma característica do concorrente. Keirrison ainda está aprimorando a forma física e sequer foi relacionado ainda e Léo Santos é, entre os dez nomes, o que tem menos prestígio e vem sendo menos aproveitado.

Formações

Só que diante de tantas opções, o comandante coxa-branca abre diversas possibilidades de escalar o Coritiba. Seguindo o padrão que ele vem apostando nas últimas partidas, no 4-4-2, a tendência é ter um atacante de velocidade pelos lados e outro mais de referência. Neste caso, a dupla seria formada por Rildo e Kléber.

No entanto, há as possíveis variações. Com a chegada do armador Rafael Longuine, confirmado junto com o zagueiro Cléber Reis, há a opção de dois atacantes natos. Com isto, Kléber poderia até jogar mais como pivô e ganhar a companhia de Alecsandro ou Henrique Almeida, retomando a dupla que deu certo em 2015. Ou então adotar o 4-3-3, com dois homens abertos nas pontas e mais o Gladiador à frente. Assim, Iago Dias e Neto Berola também poderiam ganhar uma nova chance.

Vale lembrar que até o final de setembro, o Alviverde só entrará em campo aos finais de semana. Com isso, Marcelo Oliveira terá um mês inteiro para trabalhar todas as peças e variedades, até encontrar a formação ideal para melhorar o ataque coxa-branca, que, na verdade, vem mais sofrendo nas criações das jogadas do que nas conclusões.

Confira a tabela completa do Brasileirão!

Tanto que 76% dos gols marcados pelo Verdão no Brasileirão foram marcados pelos atacantes (Henrique Almeida com cinco, Kléber e Rildo com quatro e Neto Berola, Filigrana e Alecsandro com um). De qualquer maneira, a disputa será forte, até mesmo pelo ’status’ de artilheiro.