Apesar dos insucessos acumulados no Campeonato Brasileiro, o Coritiba pode terminar o ano com uma conquista nacional. Nem que para isso a modalidade não seja o futebol. É que o Coritiba Crocodiles, equipe parceira do clube, está na finalíssima do Brasil Bowl – o Campeonato Brasileiro de futebol americano. Caso vença a competição, pode levar ao Alto da Glória o ambicionado título de expressão que a diretoria planejou para a atual temporada.

Diferentemente do futebol, praticado em sua essência com os pés, no futebol americano, jogado com as mãos, o rendimento do Coritiba vai de vento em popa. O Crocodiles alcançou as finais da modalidade nos três últimos anos, mas sofreu três derrotas: em 2010 e em 2012, para o Cuiabá Arsenal, do Mato Grosso; em 2011, para os cariocas do Fluminense Imperadores. O sucesso no esporte alternativo contrasta com os números do Alviverde na atual temporada, quando idealizou ganhar uma competição nacional ou internacional, mas não reuniu forças para atingir o objetivo.

Na Copa do Brasil, o Coritiba foi eliminado precocemente pelo Nacional-AM; na Sul-Americana, para o não menos desconhecido Itagüí, da Colômbia. Além disso, a campanha irregular no Campeonato Brasileiro o colocou na condição lutar contra o rebaixamento.

O único fato que assemelha o time de futebol americano do tradicional Coritiba é a hegemonia conquistada em âmbito estadual. O Crocodiles é pentacampeão estadual – marca que deverá ser o sonho de consumo do Coxa no Paranaense do ano que vem.

A final do Brasil Bowl, contra o João Pessoa Espectros, acontece no próximo dia 14, na capital paraibana.