Além de assegurar a permanência do zagueiro Juninho, a diretoria do Coritiba admitiu novamente o interesse em repatriar o meia Rafinha, que defendeu o clube até a temporada de 2013 e estava atuando no futebol árabe. Porém, segundo o presidente Rogério Portugal Bacellar, a primeira pedida do jogador, que é ídolo do clube, está acima dos padrões do Coxa.

“Conversei com o empresário do Rafinha e ele ficou de vir para Curitiba conversar comigo de novo. A pedida inicial foi muito alta, fora dos propósitos e sem condições do Coritiba trazer de volta. Se ele rever a possibilidade, entrar nos padrões do Coritiba, aí podemos voltar a conversar”, emendou Bacellar.

O diretor de futebol alviverde, Valdir Barbosa, garantiu a permanência do zagueiro Walisson Maia e cravou que o zagueiro Bressan, do Grêmio, não interessa ao Verdão. Walisson, que neste ano não repetiu as grandes atuações do ano passado, recebeu proposta do Figueirense e seu empresário, o ex-jogador Marcelo Lipatin, gostaria de colocar o atleta no clube catarinense. Em troca, o zagueiro Bressan, que também é empresariado por Lipatin, poderia vir por empréstimo ao Coxa, mas a diretoria alviverde não aceitou.

“O Wallison Maia está mantido no Coritiba, conversamos com ele, ele vai ficar aqui. Houve proposta, mas de cara foi definido que ele ficaria. E permanece por aqui até quando houver uma proposta que agrade a todo mundo”, garantiu Barbosa. “Bressan também é assunto morto”, prosseguiu ele.

Contratações

Bacellar admitiu ainda que, além de tentar repatriar o meia Rafinha, o Coritiba deve ainda ganhar reforços para a sequência da disputa do Campeonato Brasileiro. O cartola ressaltou que em algumas posições está faltando peças de reposição a altura e que isso ficou evidente na final do Campeonato Paranaense, quando o Coxa perdeu alguns jogadores titulares e não conseguiu repetir a performance que teve no decorrer do Estadual.

“Na final do Paranaense perdemos cinco jogadores titulares e isso desmonta qualquer clube se você tem peça de reposição a altura. Apostamos em algumas peças de reposição que não deram certo. Nas posições que precisamos trazer nós vamos trazer e vamos apostando na base também. É o caso do Dodô, que o Gilson Kleina trouxe da base e está dando uma boa resposta”, concluiu o presidente alviverde.